12 abril 2012

1

Glossário da Dança do Ventre por Suheil



Olá meninas!!!

E a bellynet está agitadíssima essa semana com o lançamento do "Glossário de Dança do Ventre", de autoria da Suheil, bailarina com mais de 20 anos de experiência em Dança Oriental, e mais outros tantos de quando ela vestia tchu-tchu e subia na ponta. A madrinha do projeto é ninguém menos que Lulu Brasil, e o trabalho promete ser um divisor de águas no ensino da dança. 

O primeiro passo para o reconhecimento é, sem dúvida, a normatização. No entanto, o anos de ensino não-normatizado criaram um sem número de nomenclaturas para passos, variações, mini-sequências. A maioria das escolas têm uma linguagem interna para a nomenclatura, mas quando a aluna sai daquele universo e vai parar em outra sala de aula, o que ela aprendeu como limão pode (e deve ser) laranja. Passei por 4 escolas, e nas 4 fui vítima desse mesmo problema.

Tomando por base o dicionário de ballet, a nomenclatura dos passos, na minha opinião, deve ser simples, clara, e de fácil associação para quem está aprendendo. No ballet a nomenclatura dos passos é praticamente a tradução literal da palavra em francês: Alongée, Balancé, Battement, Chassé, Contretemps, Detiré...  Em contrapartida os nomes de passos que se tornaram populares no Brasil não tem nada a ver com o aspecto físico do passo e nenhuma "licença poética": ovinho, soldadinho, passo do soluço... 

O Glossário da Dança do Ventre não é o primeiro esforço editorial de normatização. Outro material disponível no mercado é o livro "Ventre que encanta" da Bailarina Níjme:



A abordagem da Níjme é um pouco diferente da Suheil. Acredito que, pelo fato da Bailarina Níjme ter a formação em educação física, alguns passos ganharam a nomenclatura 100% física, que nem sempre é de fácil associação e memorização. Por outro lado, outros passos ganharam nomes extremamente subjetivos como "Bandejas Egípcias", "Caracol luminoso" ou "Mulher judaica" - dou um doce para quem descobrir como se realizam esses passos.

Já o Glossário da Dança do Ventre procurou academizar ao máximo a nomenclatura dos passos, uma vez que o objetivo e, não só atingir o público de dança do ventre, mas também informar aos praticantes de outras danças sobre os passos da Dança do Ventre. E sim, isso inclui nomenclaturas do ballet (não vou mentir que me soa escandaloso ler "Básico Egípcio en dehors" - mas entendi o propósito da nomenclatura). Mas podem ficar tranquilas que ao final do glossário tem um mini dicionário de ballet.

Embora sugerido para bailarinas amadoras e profissionais, na minha opinião o uso do glossário sem supervisão por uma iniciante se torna bem difícil. Algumas descrições são de difícil entendimento, por exemplo: "Os deslocamentos horizontais e verticais são permitidos e acontecem simultaneamente a um trabalho de pernas: cada lado completado do desenho do oito do infinito termina em um rond de jambe a terre en dehors" No mini-dicionário de ballet existem as descrições de "rond de jambe", "a terre", "en dehors", no entanto, a junção dos passos somente com a leitura, sem supervisão para execução do movimento, pode levar sim a uma execução incorreta.

No geral eu gostei muito do glossário, fiquei contente de ver alguns passinhos que executávamos em sala de aula e nem tinham nome que estão lá listados, a nomenclatura é simples mesmo com a referência acadêmica, permite tradução literal para outras línguas (alô bailarinas internacionais que dão workshops na gringa) e, ACIMA DE TUDO, está sendo disponibilizado na internet sem custo algum. Parabéns à Suheil pelo belo trabalho e pelo espírito doador! Ela plantou a semente, quem irá colher os frutos são as bailarinas, professoras Brasil afora e, sem dúvida nenhuma, a Dança do Ventre, que alcançará um novo patamar no Brasil a partir desse incentivo.

Clique abaixo para fazer o dowload gratuito do livro no site da Suheil:


Beijos a todas e bom final de semana



Um comentário:

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...