04 novembro 2011

17

A dança eloquente - Nur e suas lições para palestrantes...

"Fusche eloquentes"


"Eu não me importo se você não gosta de mim;
eu quero é que você aprenda;
eu não me importo se você não me aplaude,
eu quero é que você pense;
eu não me importo se você está se divertindo,
eu quero é que você aja."
Alan Weiss



Um famoso ditado reproduzido em facebooks, twitters, blogs Brasil e mundo afora diz que "A dança é a linguagem oculta da alma". Quando vejo uma dança altamente técnica, sentindo cada milímetro da preocupação da bailarina com a correção e a técnica, explorando os elementos de impacto ao invés de valorizar o sentimento, eu me coloco a questionar a veracidade deste ditado. Pense por um minuto: se a alma se desnuda através da dança, muita gente tem uma alma que se resume a " Shimmie Souhair Zaki, 1,2,3,4, diagonal, gira, conta, arabesque, ondulação contrária, balança pra direita, balança pra esquerda..." FALA SÉRIO!!

Somente algumas poucas bailarinas conseguem "traduzir" essa "linguagem oculta da alma" através de seus movimentos e proporcionar ao expectador não só uma experiência de admiração. A partir do momento que os expectadores passam a "assumir" o seu papel no processo de comunicação através da dança, o resultado é uma experiência extremamente enriquecedora para ambas as partes - quem assiste não esquece nunca mais da sensação que pôde experimentar naquele momento, e quem dançou fica tocado por muito tempo pelos olhares de admiração genuína que recebeu. 

"Bailarinas Inspiradoras" são aquelas que conseguem transformar seus movimentos em um megafone para que o mundo inteiro possa ouvir. Essas são raríssimas. E aqui no Brasil, em minha opinião, a representante maior desse conceito é Nur.

Nunca a vi dançar pessoalmente sozinha (só nas Super Noites nas apresentações em grupo, no solo eu estava no camarim), mas é nítido em cada vídeo que postam dela no youtube que sua dança não tem nada de introspectivo - seus objetivos são, de fato, a  interação com o público e a disseminação de um único sentimento: diversão. A maneira que Nur encontrou na dança para se comunicar com seu público é muito semelhante às técnicas utilizadas pelos palestrantes para tornar sua mensagem mais eloquente.

Vamos à elas:

"Use suas próprias idéias, abordagens e experiências. Você é que está sendo contratado, você deve ser a matriz das suas exposições e palestras."



Acredito que a não observância desse "preceito" é o erro mais comum entre bailarinas e aspirantes a profissionais Brasil afora. Enquanto a maioria "quer se enquadrar" e para "ser aceito" vai fazer aula com a professora "X" para incorporar a dança da moda em seu repertório,  Nur entende MUITO BEM esse recado, e isso se tornou um diferencial indelével na sua dança. O público quer ELA. Quer sua alegria, seus tranquinhos de fazer inveja, seu quadril soltinho, sua irreverência. E é exatamente isso que ela "entrega" no palco: 100% de Nur.


"Os objetivos, que o seu cliente pediu, e o envolvimento da platéia dirigem a sua palestra e o material utilizado nelas. A autopromoção e o seu ego devem ser esquecidos." 



Outra característica muito forte na dança da Nur: eu não consigo vê-la com uma expressão "Ok, sou fodona e sei muito bem disso." Pelo contrário, ela consegue arrancar um sorriso até do expectador mais carrancudo, uma espécie de Ivete Sangalo da dança do ventre (e quem já foi ao show da Ivete sabe muito bem do que estou falando), numa demonstração de genuína alegria por proporcionar aquele momento para o público. A mensagem que é transmitida no momento em que Nur está no palco é a beleza da Dança do Ventre em seu melhor, e não "eu sei que eu sou bonita e gostosa, e sei que você me olha e me quer...."

"Você tem 30 segundos para dizer ao que veio e 1 minuto para capturar a atenção: é a sua única e última oportunidade para causar uma primeira e boa impressão."



Todo mundo diz a mesma coisa: a dança deve começar leve, e suas especialidades devem ser apresentadas ao longo da dança, e o melhor pedaço do bolo deve ficar para o clímax. Jorge, Lulu, Carlla Sillveira, já escutei isso de muita gente grande na dança. Mas observando a dança da Nur percebo a aplicação desse conceito muito utilizado pelos palestrantes: no primeiro minuto de dança ela já apresenta dois ou três de suas especialidades (tremidos, trancos, flexibilidade e comunicação), e o expectador já desenvolve aquele sentimento "UAU" que permanece durante toda a dança. Extremamente coerente, já que bailarina e palestrante têm o mesmo interesse: motivar seu público à atenção e à admiração. 

"Seja racional, não no sentido da lógica, mas no sentido da compreensão do ser humano em suas infinitas possibilidades de dar vazão e vivência às suas emoções e aos seus sentimentos, não somente para a sua própria ação como, principalmente, para a sua percepção do seu público e da direção do que os leva à ação."

Não apenas dançar para impressionar, mas para despertar no público a maravilhosa sensação de participar, viver um momento único e absolutamente inesquecível. Simplesmente Nur!!!



E quem disse que a dança também não serve de referência no desenvolvimento da forma de se comunicar com o público?

Beijos a todas

Fonte: "Dicas práticas para palestrantes" - Carlos Alberto de Faria - Merkatus
http://www.merkatus.com.br/10_boletim/89.htm

17 comentários:

  1. Eu adorei essas reflexões... Porque a Nur, é realmente tudo. Desde 2003 quando vi a ela e a Kahina dançando ao vivo pela primeira vez, me senti mudada. Com estilos totalmente diferentes (e muito semelhantes no imenso carisma).

    Kahina já passou nos seus diversos momentos pela dança pela minha admiração suprema e pelo meu desapontamento diante de tudo que eu gostava. Agora Nur, é exatamente o que você traduziu aí: ela me agrada sempre, porque ela é sempre melhor, mas sempre com aquela essência que me cativou desde a primeira vez.

    E isso é muito raro em qualquer dança, os profissionais da arte, assim como as pessoas, mudam com o passar do tempo e passam por diferentes fases. Mas a Nur é incrivel como muda sem realmente perder um algo que só ela tem.

    ResponderExcluir
  2. A Nur tem uma energia muito diferenciada mesmo.
    Mas toda vez q eu vejo seeempre penso "Ela tem que ser sagitariana". Queria saber, alguém sabe???

    ResponderExcluir
  3. Nur é linda, envolvente, carinha de sapeca (adoro as cabeçinhas que ela faz! hehe), engraçada e tem um quadril.....jesus! ela tem o tremido mais "chacoalhento" que eu já vi na vida. kkkkkkkkkk

    fiz um work com ela em SSA de técnicas de quadril que foi massa demais, ela é muito animada! dá pra ver no sorriso dela a satisfação enorme em dançar!

    esse é o vídeo dela dançando ano passado lá em SSA junto com Ju Marconato! lindaaass

    http://www.youtube.com/watch?v=1NXypzPrZMg

    ResponderExcluir
  4. Poxa...como eu faço pra falar com vc? Queria tanto te agradecer, mas direito, pessoalmente...te encher de abraços e mostrar como eu fiquei feliz! Vc pode me dar um e-mail pessoal, um telefone, a gente marca um café...bjooooooooooooo! Vc não sabe como me fez feliz!!!

    ResponderExcluir
  5. adorei os videos e as correlaçoes para 'palestrantes' ;) danadinah você...bjos

    ResponderExcluir
  6. Verinha, a Nur é excepcional. E como vc já traduziu td o q eu sinto qdo a vejo, fica difícil falar qqr outra coisa.
    Então deixo aqui minha experiência: qdo vi a Nur dançando pela primeira vez ela estava se apresentando na volta da Kahina, da turma que fez pelos países árabes. Eu e minhas irmãs nos encantamos pq ela era simplesmente diferente de todas as bailarinas que já tínhamos assistido...
    E desde então td vez q alguém falava em assistir dança ao vivo a resposta era: só se a Nur estiver dançando.
    A presença dela na cena atual, mesmo que mais difícil hj em dia, faz com q eu ainda sonhe acordada, com os olhos cheios de lágrimas qdo assisto sua dança, por sentir que alguém aqui ainda dança por alegria.
    E só, ela faz uma dancinha linda me deixa feliz!
    Isso sim é arte pra mim.
    Bjs
    Van

    ResponderExcluir
  7. Olá meninasssssssss!!!

    Lili:

    Concordo com você 100%: "ela é sempre melhor, mas sempre com aquela essência que me cativou desde a primeira vez." Quando eu crescer, quero dançar assim!!!

    Lívia:

    Não sei se a Nur é Sagitariana!!! Mas eu não entendo nada de zodíaco, explica aí pra gente.

    Aline:
    "O tremido mais chacoalhento que vi na vida!" KKKKKK.... esse pra mim ainda é o da Soraia, mas eu confesso que tem dias que eu tenho medo do quadril da Nur!!! O que desafia a ciência é aquele tranco. Jesus!! Se eu encaixar o quadril com aquela força toda acho que lesiono a medula!

    Nur:

    EEEEEEEEEEEEEEE, olha ela aqui!!!

    Obrigada pela presença aqui no blog, viu? Todos os elogios são extremamente merecidos, você é uma das bailarinas que mais inspiram as leitoras do blog.

    Meu e-mail é: neguinhamoreira@gmx.net

    Quando eu tiver a oportunidade de te ver pessoalmente de novo, prometo que me apresento!

    Lú:

    Foi natural, sempre que via a dança da Nur me lembrava do Reinaldo Polito, não sei por que!! Foi assim que surgiu a idéia de relacionar a dança dela com as lições para palestrantes.

    Van:

    Eu também sou "órfã" da Nur no cenário atual. Mesmo desejando toda sorte do mundo nessa outra carreira que ela escolheu, e está muito bem sucedida, eu gostaria de vê-la dançando muito mais, justamente pelo fato de que é quase uma dança "rara" - hoje a necessidade de perfeição apagou a alegria de dançar da maioria das bailarinas!!!

    Beijos a todas e super obrigada pela participação!!!

    ResponderExcluir
  8. Bom..pode não ser sagitariana, mas alguma coisa de Sagitário ela TEM que ter rs

    Vera, lá no Dança do Ventre Brasil vc comentou no pso "Ballet - o detalhe que faz a diferença". Quem escreveu foi eu. E digo que entendo sua posição, mas quero deixar claro que não estava falando só do ballet, mas de estudo...e o ballet pode ajudar nos nossos estudos, foi o que senti no work da Suheil.

    Deixei o seguinte comentário:

    "Não pude deixar de compartilhar com vocês o que li recentemente numa entrevista de Nadia gamal que está disponível traduzida no site:http://arabesc.multiply.com/journal/item/53

    "Nadia Gamal defende que não há necessidade de certos acessórios como candelabro e sua opinião parece bastante respeitável, tendo em vista sua brilhante carreira e conhecimento profissional. Depois das aulas do colégio, primeiramente na Alexandria e depois no Cairo, Nadia pontualmente ia para suas classes de ballet clássico. Além dos 11 anos de ballet, a “primeira-dama” da raqs sharqui estudou ainda com um dançarino de sapateado americano que lhe ensinou ainda acrobacias. Ela estudou piano por 3 anos e coreografia por 2. “Qualquer mulher pode balançar o esqueleto e chamar isto de dança do ventre. Contudo, eu sei o que estou dizendo quando afirmo que ficar entre as melhores do mundo exige muito estudo e dedicação”, ela ressalta"

    O post é sobre isso, sobre estudar, e não necessariamente descaracterizar uma dança."

    ResponderExcluir
  9. Ela é linda, charmosa e parece ser muito simpática!!!

    Eu nunca a vi dançando pessoalmente, mas ela parece transmitir uma alegria q hj em dia esta tão escassa na dança!!! Hj em dia todo mundo só quer fazer carão, então é bacana ver qm dança feliz!!!

    ResponderExcluir
  10. A Dani tem uma alegria que contagia até pedra!
    Tive o prazer de vê-la dançando em Brasilia, de fazer as aulas dela e de dar um abraço nessa fofura de pessoa. Ela é na sala de aula exatamente aquilo que ela é dançando... sem tirar, nem por.

    A melhor parte do post foi "O público quer ELA. Quer sua alegria, seus tranquinhos de fazer inveja, seu quadril soltinho, sua irreverência. E é exatamente isso que ela "entrega" no palco: 100% de Nur."

    Foi isso que senti quando a vi dançar. Não quero bailarinas robóticas que dançam com expressão montada e sequências de um milhão de passinhos combinados pra mostrar repertório de 10 anos de estudo em 5 minutos de música. Eu quero leveza, simplicidade sem mediocridade, alegria e a 'personificação' da dança na dança daquela determinada bailarina.
    Essa é a Nur e fico muito feliz de saber que outras pessoas a enxergam como eu.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo post, essas bailarinas estão sendo pouco faladas...
    e percebe-se que ela usa as bijus e a maquiagem em equilíbrio, as roupas são lindas mas a dança é a mais importante e é ela que nos prende!

    A dança, as expressões e a alegria da NUR.

    Adorei!
    bjo

    ResponderExcluir
  12. Genteeeeeemmmm que lindo.

    Amei este post.
    Eu vi a Nur na primeira vez que fui ao KK e já fiquei xonadinha nela e ela dançou uma musica que eu amei.
    E é claro com uma simpatia maravilhosa que ela tem, me concedeu o nome da música
    ta ai o videozinho que fiz da NUR...
    http://www.youtube.com/watch?v=OAty9KzlM78

    PARABÉNS PELOS POST

    BJS

    ResponderExcluir
  13. Ela veio aqui na selva, dançou no casamento da minha professora e ainda nos brindou com um work às oito da matina de domingo com muita ressaca da festa.
    Foi lindo!!
    É linda por dentro e por fora e Jeeesus o tremido é sobrenatural!!

    ResponderExcluir
  14. A Nur é uma das minhas preferidas no Brasil por ser uma das poucas que dançam realmente DV, para mim.

    Meu sonho é ter essa espontaneidade que ela tem. Tô tentando! ahahah

    ResponderExcluir
  15. Eu disse: ela é sagitariana! Facebook: "Nur Dança
    Nasceu em 29 de Novembro de 1984"

    ResponderExcluir
  16. Nur é a melhor dançarina que eu já vi quadril espetaculoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Nur tem um quadril pra estudo, a melhor na dv que eu já vi.

      Excluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...