07 junho 2011

9

Dancesmeralda: A pessoa, o projeto, o sapato!



Seu nome bem poderia ser "Dancesmeralda" mesmo - sua vida é a dança desde os 4 anos de idade. Esmeralda, bailarina internacional, pratica ballet desde os 4 anos de idade, até a profissionalização (8 ou 10 anos de estudo?), praticou jazz e desde 1999 se dedica à dança do ventre. Só na DV são 12 anos sendo que desses, 8 anos ela passou dançando em países árabes como Líbano, Emirados Árabes, Catar, Tunísia, Argélia, Síria e Marrocos.

Sua comunicação com o Brasil era seu site onde ela tinha um diário de bordo muito bem humorado sobre suas aventuras no mundo árabe, e seus shows exporádicos em São Paulo quando ela vinha em férias. Há um ano ela desembarcou na terra Brasilis, e depois de matar a saudade, arregaçou as mangas e lançou seu projeto Dancesmeralda, o espaço Dancesmeralda e juntamente com a Capézio desenvolveu o primeiro sapato específico para a bailarina oriental. 

A dança de Esmeralda é muito diferente do que praticamos hoje no Brasil - obviamente sua dança foi influenciada pela "necessidade de entreter", e pode parecer forte e acelerada demais em alguns momentos - o que na minha opinião pode comprometer seriamente a fluidez, porém é uma dança de movimentos muito limpos e NADA de ballet clássico. 100% Arabic Dance. Confira:


Mashael: o "Hino Nacional" das bailarinas no exterior. 

Como é possível? Uma bailarina clássica formada, que até prestou Royal Academy of Dance executar uma música árabe sem um arabesquezinho? Um chutezinho alto? Aqueles girinhos com a perna dobrada do ballet (que eu não sei o nome) que estão virando moda na dança do ventre aqui em SP?

É possível. E ela conta tudinho na entrevista que nos concedeu no E-Ventre 2011:




Assistam a entrevista que ficou MUITO LEGAL. Esmeralda é extremamente bem humorada e simpática, garantia de boas risadas.

E o sapato? No vídeo podemos avaliar o modelo preto, porém o sapato também está disponível nas cores bege e dourado:



No vídeo da entrevista você terá todas as informações mais técnicas do sapato, como mobilidade, estabilidade e design. E se tiver interesse em adquirir, pode entrar em contato com a própria Esmeralda em seu Studio de Dança:

DancEsmeralda
Rua Machado de Assis, 508 - Alto - Vila Mariana
Tel.: (0xx11) 2308-8766 

www.dancesmeralda.com - Site oficial com o blog da Esmeralda que você vai adorar visitar. 

Foi um grande prazer falar e aprender com essa grande artista. 

Beijocas

9 comentários:

  1. Verinha do céu!

    Ei de dizer que este post é sem dúvida um dos meus preferidos.

    Conheci a Esmeralda há anos, mas mts anos msm, qdo ela foi fazer umas fotos na KK pra Tetê e ficou assistindo as aulas da Lulu depois. Na época o blog dela estava começando a bombar, mas nenhuma das alunas ali a conhecia, por serem tão restritas ao mundo KK daquele momento (auge).

    Lembro de conversarmos um pouco sobre as roupas de dança e que ela tinha trazido as pedrarias de fora pq o material daqui era de qualidade inferior, apesar dos estilistas serem excelentes.

    E eu confesso de fiquei de queixo caído com a simplicidade, elegância e maturidade dela.

    Pra mim a Esmeralda é a personificação da bailarina árabe e ponto. Vestuário elegante, bem feito e com um padrão que lembra que 'isso é dança do ventre', beleza na medida certa: cabelos, make up e acessórios perfeitos, postura de profissional e sorriso no rosto, preocupação em entreter e dançar para o público, leitura musical impecável etc etc.

    E isso tudo pq eu concordo contigo, a dança dela é forte, acelerada e não é exatamente o que eu prefiro assistir, mas é um estilo muitíssimo bem executado dentro do padrão exigido pelas profissionais lá de fora.

    Outra coisa mto interessante, como ela msm diz, a DV pode ter sim base e formação de ballet e whatever, mas isso não quer dizer que a essência da dança árabe tenha q se fundir com a essência de outras danças. É mais bonito, lindo e original a dança árabe tradicional bem executada, em toda sua majestade, pq a dança do ventre tem sozinha os pré requisitos pra ser uma gde dança, sem precisar incorporar nada além daquilo que ela oferece.

    Amei de paixão que vc fez esta entrevista e espero mto q as pessoas comecem a perceber que podem usar, como a Esmeralda disse, os fundamentos do clássico no aprendizado da DV, mas deixem isso pra estruturação corporal e façam da dança do ventre grandiosa por si só, q ela tem mto potencial pra isso.

    Bjs

    Van.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista Verinha. Melhorou em 200% minha opinião sobre Esmeralda. Adoro quando isso acontece heheh =)
    beijos gata!

    ResponderExcluir
  3. eu já esperava, Esmeralda sempre foi acessível e sincera - e olha que ainda não a conheci pessoalmente, mas o contato pra nossa entrevista foi show! fiquei feliz em conhecer um pouco mais, adorei! Verinha, momento off 'tricô': teu cabelo tá lindoooo dessa cor! ;) e eu adoro as trilhas que vc cria para os vídeos... ai um dia eu chego lá, se vc me entrevistar quero um blues ao fundo hein, já anota! kkkkkkkkk um super beijo e parabéns pelo blog!
    =]

    ResponderExcluir
  4. oiee!
    estou fazendo um sorteio no blog!
    adoraria sua participação =D

    http://nina-khos.blogspot.com/2011/06/super-sorteio-do-blog-para-comemorar.html

    OBRIGADO...BEIJOS

    ResponderExcluir
  5. Olá, Vera. Ou será que devo chamá-la de Amar?

    Bem, conheci o seu blog e o estou acompanhando, tem postagens muito legais,fico pensando sobre como você desenvolveu esse senso crítico para a Dança do Ventre.Legal as dicas de música que vc dá, as informações a respeito de cada vídeo.Só estou sofrendo para baixar as músicas no 4shared, pis ás vezes uma letra diferente e lá se vai a possibilidade de encontrá-la...

    Por exemplo, mais recentemente, fiquei louca para baixar a música dançada pela Esmeralda no
    MP 2010 (Mashael, segundo o blog).baixei duas totalmente diferentes.Também a música dançada pelo Teléte, não faço ideia do nome.O bolero do Mario Kirlis, esse eu encontrei, mas só consegui uma versão incompleta.
    E o mais estressante de tudo: estive no MP 2010 e assisti às apresentações do concurso Solo Tribal.Tinha uma menina, o nome dela é Aline Ross Mafezzoli, creio eu...que dançou uma música linda, de dois tempos,um música mais parecida com uma valsa, linda mesmo, que já perguntei a todo mundo e ninguém sabe!
    Se vc tiver o DVD do Mercado, poderia me dizer o nome dessa música, ou o link para baixá-la?

    Pedi coisa demais para um primeiro contato , né? Rsrsrs. as é que realmente seu blog é bem completo,vi que vc tem muita intimidade com as músicas, os vídeos, enfim.

    Aguardo sua resposta ansiosamente

    Beijos!

    Mel

    ResponderExcluir
  6. Amar, como podem dançar dança do ventre sem ser como Esmeralda? Quem não dança como ela, dança Dança do Ventre? Ou Dança Árabe(como ela prefere chamar)???? Fiquei pasma quando você disse que a dança dela é "mmmuuuuiiiito árabe". Afinal, dança do ventre é o quê, então?!! Eu sou leiga em dança, infelizmente, mas como admiradora da Dança do Ventre, ou Árabe, ou Oriental (a la Gamal) não entendo como achar natural haver um "modo brasileiro" de dançar esta arte. Já imaginou um modo americano de sambar? Ou um modo inglês de sambar? Que tal um modo vietnamita de sambar? Seria de fato samba? Esmeralda é magnífica e quando eu crescer quero ser só um pouquinho igual ela.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mirna!!!!!!!!!!!!

    Quando eu digo que a dança da Esmeralda é muito árabe, eu quero dizer que não existe influência do ballet ou jazz, ou qualquer outro "ocidentalismo" em suas apresentações.

    Quem teve a oportunidade de presenciar uma apresentação da Esmeralda percebe que ela faz MUITO com os movimentos triviais, aqueles a que estamos bem acostumadas, tudo muito limpo, muito fluido, sabe? Ela não precisa colocar aquela perna altíssima em um arabesque para deixar o público de queixo caído. Esse é um diferencial!

    Eu também quero ser como a Esmeralda. Certeza!!!

    Beijo flor!!!

    ResponderExcluir
  8. Amar, como eu nunca fiz jazz nem ballet (como a maioria das minhas colegas) eu nem sei identificar o que é o quê! Portanto, minha opinião é puramente intuitiva, e humilde. Sei que nada sei! Como não tenho esse repertório de "passos não árabes", não me sinto atraída por eles. Acho que as professoras deveriam fazer turmas exclusivas de folclore, pois aí eu teria chance de aprender a essência árabe, os passos que realmente me interessam, a brejeirice, o sentimento da mulher egípcia. Será que não era disso que o Gamal tava falando na entrevista que te deu? Eu sei que a formação em dança clássica é que dá à nossa diva aquela postura maravilhosa, mas eu também não quero "contaminar" a minha dança. Beijo.

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...