31 maio 2011

26

Divas da Terra Brasilis: Aziza-Mor Said


Algumas bailarinas serão sempre lembradas pelo estereótipo do personagem que assumem ao subir no palco. Mayara al Jamila, Jade el Jabel, Nevenka encarnam como ninguém as "femme fatale" de forma muito natural ao dançar. Kahina, Karina Galasso, Suellem são as "tchu-tchu ballerinas", todo mundo percebe na hora que existe uma bailarina que sobe na ponta ali. A bandeira da alegria é defendida de forma muito competente pela Nur. Aysha Almée é a Rainha! 

E quando entra em cena, Aziza-Mor é a personificação da "Princesa".

Estudo as apresentações de Aziza desde a série de vídeo aulas da Lulu. Foi quem me apresentou minha música preferida, que é Lissah Fakir dançando de forma magnífica minha versão preferida com um figurino preto. É uma bailarina de uma técnica muito perfeita, plástica impecável, escolhe muito bem seu repertório.

Essa é da época das vídeo aulas da Lulu, ô saudade...


Mas desde os vídeos da Lulu eu percebo um excesso de correção, em detrimento da expressão na dança. Aziza não "sentia" (momento Sabongi do blog) ao dançar.  Me marcou uma apresentação em que ela dança um solo de derback de forma PERFEITA, não perde uma única batida sequer da música, é impecável. Mas o público em volta não altera a expressão do rosto nenhuma vez durante toda a dança. Mesmo na hora em que todo mundo bate palmas, a expressão do público continua "a mesma" - nenhuma. Às vezes ao assistir a Aziza dançar, me incomoda a ausência de vontade de sorrir. 

Mas ao longo dos últimos anos, Aziza vem mudando essa concepção. Ela continua sendo uma biblioteca de movimentos, tem um dos quadris mais ágeis do Brasil, é uma fábrica de movimentos diferentes. Mas agora eu percebo em sua dança também uma necessidade em emocionar, em despertar no expectador uma experiência que vai além de perceber os passos. E percebo também que não é tarefa fácil não. Tem apresentações da Aziza que você assiste e quer mudar o mundo, como a das Super Noites do ano passado. E tem apresentações que vc assiste e pensa: ah, tá, tá linda! Próximo. 

Aziza também é uma bailarina referência no trabalho com véus


Independente dessa minha opinião particular, é notável que ela está trabalhando seriamente no propósito de emocionar seu público. E o resultado tem sido danças ESPETACULARES. Sem dúvida, ocupa o Olimpo da Dança do Ventre no Brasil.

Com vocês: sua alteza real Aziza-Mor Said.








26 maio 2011

3

Luxo Acessível - Atelier Yasmin Hassanein


Se tem uma coisa que eu procuro mais do que boas maquiagens, dvds de dança do ventre, receitas de torta holandesa e tinta vermelha para cabelo é figurino de dança do ventre a preços acessíveis. Aqui em São Paulo, nos últimos anos, infelizmente, não é possível para uma aluna de dança do ventre adquirir mais do que um figurino de médio/alto padrão por ano - os preços ficaram simplesmente fora do contexto. Não é possível para uma professora solicitar à aluna que pague mais de 500 reais em um figurino. Eu, pelo menos, acho absurdo! Assim sendo, 1 bom figurino por ano está mais do que suficiente - se der pra segurar por mais tempo, melhor. 

Mas ainda existem profissionais que se trabalham por um preço justo, acessível e nem por isso seus figurinos são de menor beleza ou qualidade. É o caso do Atelier Yasmin Hassanein. Como relatei no post sobre o Mercado Persa, com esta estilista é possível adquirir figurinos de excelente qualidade por preços incríveis. 

Descobri o trabalho da Yasmin Hassanein há alguns meses atrás por intermédio da Lu Arruda, que em um de seus ensaios está usando um figurino rosa belíssimo desta estilista. A partir desse primeiro insight, passei a pesquisar melhor seus trabalhos, até que pude ver "ao vivo" seus trabalhos nos ensaios fotográficos da Revista Shimmie. 


Clique nas imagens para visualizar em tamanho maior

Dentre os ateliers de São Paulo, Yasmin Hassanein é a estilista que consegue desenvolver os figurinos mais parecidos com os figurinos egípcios. Com a vantagem do material ser de primeira, e o trabalho executado da melhor maneira possível (porque vamos combinar, as roupas egípcias são lindas, mas de péssima qualidade). Também vejo semelhanças de seus figurinos com os figurinos do atelier americano Audrena (www.audrena.com), a estilista das estrelas norte-americanas.



Seus figurinos de duas peças também são um luxo à parte. Yasmin é mestra no estilo de bordado que mescla milhares de estilos de miçangas, bolinhas e afins em um mesmo bordado. E ainda coloca nos figurinos aqueles detalhes diferentes que a gente adora: bracelentes, mangas, tornozeleiras, adornos para coxas e panturrilhas... enfim, tudo o que você sonhar para um figurino, a Yasmin faz pra você.

Matéria da Revista Shimmie - O luxo nos palcos
Traje branco by Yasmin Hassanein
Clique na imagem para visualizar em tamanho maior. 

E ainda está com uma promoção imperdível até 28/05 de saias, tem saia de 30 dinheiros minha gente! Não dá pra perder não.


E mais a promoção do dia dos namorados, que a cada R$ 100 em compras você ganha um cupom e concorre a um traje exclusivo! Fala sério: já dá a letra pro namorado!!


Beijos a todas!!!!!!!!!!!!!!!!!

23 maio 2011

6

Histórias de fã: Eu e Soraia Zaied

Toda amante de dança do ventre, quando inicia seus estudos, toma uma bailarina como referência e segue acompanhando os seus passos. No meu caso, tinha tudo para ser a Kahina: foi essa a primeira bailarina de que ouvi falar no momento em que entrei em sala de aula. Também tinha tudo para ser a Lulu, que era a referência maior de minhas professoras na época. Mas nenhuma delas me chamou tanto a atenção quanto a moça dos quadris mais poderosos da atualidade: Soraia Zaied. 

Desenvolvi com Soraia esse relacionamento à distância que é característico de ídolo e fã: procurava todo e qualquer material - em vídeo ou impresso - em que ela estivesse presente. Sempre a estudei muito.

A primeira comunidade do Orkut em homenagem à Soraia eu criei em 2005 - na época o Orkut bombava!!! Dei um search no nome "Soraia Zaied" e não apareceu nenhuma comunidade. Como assim a Soraia não tem comunidade? Não tinha meu bem!! Tá criada:


E ela passou a fazer parte da minha vida, como alguém muito presente, que faz parte do dia-a-dia mesmo. 

Daí vc chega naquele estágio de loucura em que começa a falar com a televisão:
- Pô Soraia, esse tremido de tensão é o cão fia!!! Né possível...
- Mas e se eu levantar os calcanhares, será que fica igual? Não né? Acho que não...

E depois chega naquele estágio que até interage com a dança da pessoa no vídeo e começa a pitacar as coreografias:
- Mas Soraia, esse shimmie africano, cê tem certeza? E esse passinho meio carimbó, será que dá certo... mulherrrr, esse povo do Egito é meio exigente....
- Ah Soraia, meu, não gostei...  Ah, que é isso meu!!!

Só depois que o marido avisa que você está conversando com a TV é que você se dá conta do tamanho da loucura! Mas é coisa de fã, plenamente normal. 

Até que chega o dia em que você tem a oportunidade de encontrar essa pessoa, e quer em um minuto resumir tudo o que ela representa na sua vida, quer dizer o quanto ela foi (e ainda é) importante para o seu crescimento enquanto amante da dança do ventre, e bailarina. Que com as vídeo aulas dela, e com os vídeos de apresentações dela foi possível conhecer o que era dança do ventre "de verdade". Não existiam palavras suficientes, só as lágrimas é que puderam dizer por mim o que meus lábios não eram capazes. 

Das loucuras da sala de TV para a realidade: Eu e Soraia Zaied

Cara de cansada, óbvio, depois de quase 7 horas maquiando a mulherada para as Super Noites... 
e nem pude fazer a maquiagem da Soraia, snif, snif...

Dei o maior vexame chorando, mas valeu. Pelas coisas lindas que Soraia me disse, esse momento ficará guardado para sempre em minha vida!

À Soraia Zaied, o MUITO OBRIGADA de todas as amantes e admiradoras de dança do ventre deste país!!
E nossos votos de muito sucesso, que através de sua dança ela eleve sempre o Brasil ao Olimpo da dança do ventre!!!

Beijocas

19 maio 2011

8

A força da "Juventude do Ventre"


Quarta passada à noite na minha aula a prô estava elaborando uma coreografia clássica que iremos apresentar em alguns concursos. Junto comigo, 4 mocinhas, todas com menos de 20 anos de idade (isso mesmo, sou a tiazona da sala de aula). Todas com mais de 10 anos ininterruptos de dança do ventre. Fiquei embevecida com o processo criativo delas, não só pela técnica, que é excelente, mas pela forma como tratam a dança em si . Não é novidade para nenhuma delas  que dança é coisa séria, e “de gente grande”, mas quando estão criando e dançando, estão se divertindo. E muito. 

Gabrielle Huang, 12 anos de idade, 6 anos de dança do ventre.
Uma das grande promessas do futuro.

Por muito tempo, mas muito tempo mesmo, eu me ressenti com esse “movimento” que acontece na dança do ventre: bailarinas cada vez mais jovens, com muito talento, dominando o cenário artístico. A bailarina top da nova geração, Kahina, tem só 27 anos! São bailarinas com objetivos profissionais muito distantes das primeiras bailarinas de dança do ventre famosas neste país: elas treinam muito, dançam muito, organizam empreendimentos, juntam forças, crescem cada vez mais. E, principalmente: não complicam TANTO seu relacionamento com a dança como a maioria das “tiazinhas do ventre” (eu, inclusive) fazem. 

Hoje vejo o quanto essa minha visão da dança era parcial, tendenciosa e bitolada. 

Beatriz, 18 anos. 
Bailarina profissional, professora e coreógrafa. 

Para essas meninas, profissionalizar-se na dança do ventre é um processo que se torna natural como passar de ano na escola.  As que escolhem se profissionalizar têm na dança do ventre sua primeira oportunidade de ingressar no mercado de trabalho, e às vezes já iniciam na carreira com uma qualidade que coloca algumas bailarinas “côro velho” (aloww Hadara) no chinelo. 

Artisticamente, para as bailarinas dessa nova geração, o céu é o limite. A maioria delas pratica outro tipo de dança com o objetivo de somar seu repertório na dança do ventre: ballet, jazz, dança contemporânea, danças de salão, dança cigana, dança indiana... algumas também se aventuram no circo para melhorar a flexibilidade. Outras, ainda frequentam aulas de teatro, querem o domínio do palco, da expressão e da consciência cênica. 
Essas bailarinas, quando procuram um curso superior, já o fazem dentro da própria dança - ou, pelo menos, em Educação Física. 

O resultado é uma dança requintada e elegante. Há quem critique os excessos de ballet, é verdade (tipo eu assim), mas é inegável que a presença dessas "mocinhas do ventre" no cenário artístico tem alterado sim a visão do público - pelo menos aqui em São Paulo - para com a dança do ventre. Óbvio que o tratamento do público para com a dança ainda está a anos luz do ideal, mas esse sopro de mudança vislumbra um futuro muito positivo para quem pretende se profissionalizar em dança do ventre - mais respeito dos contratantes e do público e cachês maiores. Mas atenção: a cobrança de quem está contratando também está ficando bem maior. 

E a maneira de lidar com a insatisfação dessas meninas é a mesma que utilizamos quando estamos insatisfeitos no trabalho: ou muda ou morre de úlcera. A maioria prefere mudar sempre, se reinventar, ao invés de ficar digerindo a crise para vê-la ferir o estômago - e, por que não, a alma. 

Leila, 16 anos.
Bailarina profissional, professora e coreógrafa. 

A essas pequenas notáveis, o nosso respeito... 

Que possamos aprender com elas que é possível amar dançar e encarar a dança como uma profissão que oferece dissabores e desafios, como qualquer outra. Que nos deliciemos com sua dança alegre de hoje, com a esperança de que fiquem ainda melhores quando estiverem mais maduras, e nos permitam ainda mais muitos anos de alegrias!!!

16 maio 2011

8

Super Noites do Harém 5: Uma noite para celebrar a dança!

Olá meninas.



Kaizen (do japonês 改 善, mudança para melhor) é uma palavra de origem japonesa com o significado de melhoria contínua, gradual, na vida em geral (pessoal, familiar, social e no trabalho). Parafraseando um dos princípios básicos do Kaisen "não há nada no mundo tão bom que não possa ser melhorado". É exatamente essa a descrição perfeita para o espetáculo Super Noites do Harém 5: se você já achava que essas bailarinas(os) da Khan el Khalili já fizeram tudo, você realmente não viu nada. 

Este ano eu pude participar das Super Noites de uma forma um pouco diferente, já que fiz a maquiagem de algumas meninas (mas não pude fotografar bastidores, infelizmente). Por isso pude assistir uma parte do ensaio geral e testemunhar por que esses artistas são tão incríveis: é muito talento, mas muita ralação também. Literalmente! Nos camarins joelhinhos ralados, hematomas sem fim, sinais físicos de que a preparação tinha ido às últimas consequências. E o resultado do show valeu o esforço com certeza. 

Agora pensa o seguinte: eu estava no mesmo camarim do Tárik. As meninas nem precisavam dançar muito, eu ia achar tudo lindo mesmo!!! Ahahaha... Brincadeira. 

Sobre as apresentações: 

Vi os solos de Suellem (youtube), Shirlei Salihah, Nur, Kahina e Soraia (ao vivo). A japonesa trouxe uma dança extremamente técnica, de altíssimo nível, com elementos de várias danças, e prestando homenagem a muitas mestras: em sua dança tinha Randa, Jillina, Raqia, Lulu, tinha tudo. A dança da Shirlei foi muito interessante, sua leitura musical é maravilhosa, e ela utiliza qualquer parte do corpo para executá-la: até as orelhas se deixar. O solo que ganhou definitivamente meu coração foi o da Nur, meu Deus que TALENTO. Minha descrição para ela: Nur é A dança do ventre - intuição, alegria, feminilidade e força. Kahina dispensa maiores comentários, mas eu preciso falar do figurino dela. AFFFFFFFFFFFFFFF um luxo! 

E Soraia.... Ah, a Soraia.  (Depois conto do vexame que dei no camarim quando fui abraçá-la). 

Dançou Enta Omri. Choreeeeey larrrrrrrrgado. Depois de tantas apresentações com vários elementos do ballet e jazz, ver uma DANÇA DO VENTRE, executada sem afetações, me fez renovar meu compromisso com a dança no meu coração. A apresentação foi perfeita. E no solo de percussão eu tive uma certeza: EU TENHO MEDO DO QUADRIL DA SORAIA. SÓ ISSO. 

Dos números mais modernos, destaque para a coreografia moderna das fitas (Ana Claudia, Suellem, Talita Faria e Laura Guido), um figurino LUXO do Cristtiano Ferreira, e a dança estava uma graça com os véus, e do nada as meninas aparecem com as fitas e piram o cabeção. AMEY. Houve também os fan veils de Kahina, Ali Kalih e Ju Marconato, maravilhosos! Muita, mas muita, mas muita técnica e beleza. O Paso Doble (muitas meninas, não vou lembrar todas), mais uma inserção de outras danças que deu MUITO certo nas Super Noites. As espadas de Suellem, Isadora, Ana Claudia e Laura Guido são o que REALMENTE se pode chamar "um novo conceito em dança". Já trascende Dança do Ventre, é mais, é maior. 

E os folclores... Ah, Najla e Tárik danados!!! Me fizeram chorar duas vezes!!! A hagalla do Tárik eu pude assistir no ensaio e foi o único número para o qual o Jorge soltou um grito de aprovação do tipo ARRRASOU MULEEEEEQUE. Foi INCRÍVEL. E a apresentação no palco foi ainda melhor, o Santo Agostinho veio abaixo. E a Najla com seus pandeiros e jarros levantou a moçada com uma dança alegre, festiva, cheia de técnica e carisma. 

Super Noites do Harém não é um evento de ingresso acessível: são magníficos R$100 reais para assistir. Mas ontem eu pude ter certeza: ver uma apresentação de altíssimo nível como esta, vale cada centavinho!!!

E um viva à dança!!!







Olha os jarrinhos de Najla Yacoub aí!!!







Beijos a todas!!!

13 maio 2011

16

Revista e DVD Pratique Dança do Ventre com Lulu Sabongi


Depois de esperar 2 dias pela boa vontade do "Seu Blogger"...

Finalmente chegou às bancas de todo o Brasil a nova revista + DVD didático de Lulu Sabongi. Depois de 9 (???? - Se eu estiver errada me corrijam) anos desde o lançamento de sua última série de DVDs didáticos, Lulu volta à telinha para mais uma vez dividir seu conhecimento conosco.

O público alvo das lições do DVD são as iniciantes em dança do ventre, mas ouso dizer que uma vídeo aula da Lulu deve ser objeto de estudo de qualquer nível de estudo em dança: às mais iniciantes ela explica o “feijão com arroz” da técnica, ao mesmo tempo que refina algumas variações para as intermediárias e dá um verdadeiro show de didática para ajudar às avançadas que pretendem se tornar professoras. Ou seja: investimento de retorno garantido.



Eu, pessoalmente, gosto muito da linguagem que a Lulu usa no vídeo, muito acessível e, por vezes, engraçada! – Este é o passo de “pegar bailarina falsa”.  Choreeeeei larrrrgado de rir!!! O fato é que certas associações de movimentos são precisas e nos ajudam muito quando da transmissão do conhecimento em sala de aula.

As alunas de Lulu estavam lindas nos blocos de demonstração dos movimentos, e, embora eu tenha ficado incomodada com uma falta de expressão aqui e ali,  não posso deixar de exaltar a qualidade das meninas – os movimentos, a harmonia, tudo perfeito. E tudo executado num espaço pequeno viu?

A apresentação final da Lulu foi com.... ah, não vou falar. Mas posso adiantar que foi INCRÍVEL.

Momento backstage da gravação do DVD "furtado" do Facebook da Kahina
Najwa Zaidan, Hadara Nur, Lulu Sabongi, Kahina e Mahira Hasan

Vou listar abaixo uma pequena resenha das apresentações do DVD, só para dar um gostinho:

1. Elis Pinheiro (Zel Hawa): Elis é a rainha das posições dançantes. Tenho a impressão de que se eu deixar a máquina disparando no automático, todos os movimentos dela parecerão calculados e posados. O máximo.

2. Isadora (Set el Hosen – Parte II): Isadora é uma boneca. Seus movimentos são muito suaves e delicados. E os movimentos de tronco foram perfeitos.

3. Aziza (Laite Bitterjah): Depois da Mestra, é, sem dúvida, a melhor apresentação do DVD. Aziza faz uns micro-acentos incríveis – acho lindo, mas ao mesmo tempo quando liga o 220 no quadril bota o chão pra tremer.

4. Leila Soraia (Set el Hosen – Parte I): A dança de Leila Soraia é uma delícia de se assistir porque tem pouquíssimas inserções de ballet – para os tradicionalistas de plantão é uma excelente pedida. Seus deslocamentos e movimentos de braços me lembram um pouco a Najwa Fouad nos “anos incríveis”.

5. Cristal Kasbah (El Ard): Não conhecia, amei, e recomendo muito. O quadril mais nervoso do DVD assim, LONGE. Cristal faz um mix muito interessante de movimentos de ballet, postura e elegância, com um quadril de dar medo. O resultado é uma dança de excelente qualidade.

6. Mahaila el Helwa e Najwa Zaidan (Tamer Henna): Esta é uma apresentação que vou estudar muito. Tamer Henna é uma música manjada que todo mundo faz a leitura musical do mesmo jeito. Mas as meninas fizeram uma leitura diferente, e ficou muito legal. Fora a postura e expressão da Mahaila que estão um capítulo à parte.

7. Nesrine (Enta Omri): Adoro a sensualidade natural da Nesrine, e seus olhos expressivos! Dança suave, desenhos perfeitos, tudo lindo. E o figurino lindo também. Dá-lhe Simone Galassi.

8. Ana Claudia Borges (Idak Dia): Olha minha tia ai!!! Aninha tem uma dança muito tradicional, assim como a Leila Soraia, e por isso é excelente material de estudo, pois ela num curto período de tempo diversas variações bacanas de um mesmo passo. E é uma aula de movimentos com a cabeça!

9. Hadara Nur e Mahira Hasan (El Toba): Quantas folhas vcs já anotaram na vida inteira de movimentos com véus? Pois a Hadara e a Mahira fizeram TODOS! E mais alguns que elas tinham na manga. Coreo tsunami, de excelente qualidade, com MUITAS soluções em véu.

10. Priscila Samra: um dos melhores taksim que já vi na vida. Nada mais a declarar!

11. Flora Pitta: vários movimentos diferentes com a capa! Adorei.

12. Dalilah: me incomodou um pouco o excesso de meia ponta alta em uma música baladi, mas a qualidade da dança é inquestionável.

Deu para instigar bastante?

Então vá à banca mais próxima e compre a Revista e o DVD por R$ 19,90, ou então... aguarde as próximas semanas que vai ter SORTEIO, junto com a Revista Shimmie nr. 5 e mais um kit de makeup ultra master que resisti muito em ficar pra mim!!! Vocês vão adorar!!!

Falando em maquiagem, a matéria da maquiagem da revista é desta humilde blogueira que vos fala!



 E olha que nem nos meus sonhos mais insanos, lá no começo de tudo, quando tudo o que eu tinha era alguns VHS e boa vontade de aprender, eu sonhei que isso acontecesse:


Mas o que você está esperando para ir até a banca mais próxima? Se jooooooga colega que a revista está sendo vendida nas bancas de todo Brasil.

Beijocasssss!!!

09 maio 2011

5

Tito Seif, porque o homem tem todos os encantos do mundo!



Em alguns momentos me pergunto se ainda existe preconceito com os homens na dança do ventre. Há quem diga que não, mas eu acredito 100% que existe muito preconceito com os homens que preferem dançar a parte "feminina" da dança do ventre. Eu me vejo 500% mais crítica com a dança dos rapazes do que das moças. Acho que se é para os rapazes dançarem de "duas peças", a dança tem que ser o máximo, o figurino tem que ser luxo, e o bailarino tem que ser lindo. É, eu sei, "bobagem da pura". Mas estou trabalhando isso. Porém acredito que esse sentimento não é só meu não, muitas pessoas também pensam dessa forma dentro da dança. 

Nesse tópico só existe uma unanimidade: seu nome é Tito Seif



Tito começou sua carreira como dançarino de dança folclórica do Egipto. Nos últimos 20 anos, e com grande paixão, seu estilo se desenvolveu mais e mais no estilo oriental, que chamamos de "Raks Sharki". Seu estilo único consegue aliar a suavidade de seus movimentos com a força do corpo masculino: seus acentos são I-N-C-R-Í-V-E-I-S. Sua leitura musical do Taksim é melhor do que a leitura de todas as bailarinas em atividade no Egito - aquela dramaticidade que nos tira completamente dos movimentos só para observar as caretas das bailarinas simplesmente não existe em sua dança. É a beleza genuína da dança oriental, só e tudo isso. Dançando de calça jeans, calça bailarina, figurino folclórico, whatevers. Sua dança é maior do que a "casca".




Ele ensina ambos os estilos oriental e folclórico da dança. É um bailarino extremamente talentoso com muitas soluções sensacionais de dança para ensinar aos alunos de todos os níveis da dança oriental. Outro dia em minha aula com a Aninha, a Leila Chiaratti (guarde este nome - ele será um dos grandes da dança do ventre em Sampa) fez um movimento ensinado por ele no Festival da Luxor, que era um oito pra trás com tronco projetado à frente e shimmie. Uma coisa LINDA de se ver. Só podia ser do Tito mesmo... 10 entre 10 bailarinas saíram encantadas de seu workshop, cheias de movimentos do repertório do Tito para adaptar em sua própria dança. Um exemplo de mestre que não teme em dispensar seu conhecimento à vontade. 

Tito atualmente vive e trabalha no Egito. Com uma presença de palco muito forte e dotada de personalidade, Tito fascina até os mais conservadores com a dança masculina. Seu legado para a dança do ventre mundial, com certeza, será, além de sua dança, a sua capacidade de tirar de nossos olhos a trava do preconceito. 

Com vocês, Tito Seif.








05 maio 2011

3

Feliz Dia das Mães!


Mãe...São três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o céu tem três letras
E nelas cabe o infinito


Para louvar a nossa mãe,
Todo bem que se disser
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer

Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do CÉU
E apenas menor que Deus!
(Mário Quintana)

Não sei porque esse poeminha me traz à mente a cena de uma criança de uniforme, na escola, lendo o poema com a dificuldade dos iniciantes na leitura, que com seu encanto infantil é capaz de emocionar a todos!

Daquela mesma forma que fiz para minha mãe um dia. Da mesma forma que espero que façam por mim.

Um grande beijo a todas as mães leitoras e das leitoras do Amar el Binnaz. A vocês, mães, meu eterno aplauso!




Um dos vídeos mais lindos que já vi, a narração do poema "O Amor" de Khalil Gibran, e a performance da bailarina Dunia, grávida de 7 meses. Na sequência a interpretação de "Ana fi Intizarak".

A segunda parte do vídeo não pode ser incorporada, mas vocês poderão visualizá-la aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=sOsPh4CVmeg&feature=related

Beijos a todas!!!

03 maio 2011

4

O regulamento dos sonhos - LIBRAF


Olá meninas!!


Quando resolvi participar do concurso de truco do sindicato dos bancários (outra vertente dessa personalidade: sou daquelas que conseguem ficar um feriado prolongado inteirinho na mesa de truco sem achar ruim), recebi um caderno de regulamento de 5 páginas extremamente detalhado, explicando todas as regras, critérios de desclassificação, premiações, tudo. Na minha ignorante concepção, jogar truco era simplesmente "sentar no tamborete" e começar a gritar o blefe. Não. Quando se fala em competição, a coisa se torna bem maior. 

Claro que, na hora, pensei nos concursos do Mercado Persa e seus regulamentos de 3 linhas que, na realidade, não possuem utilidade, porque:
1. Não explicam claramente cada uma das modalidades;
2. Não definem critérios de julgamento, muito menos de pontuação, e, principalmente,
3. Não possuem critérios de desclassificação. 

Com a ajuda do meu amigo Google, comecei a procurar regulamentos de concursos de danças diversas, para observar o que poderia ser de utilidade para os concursos de dança do ventre. E encontrei o regulamento dos sonhos de toda bailarina árabe que gosta de concursos: o regulamento da Copa Brasil e SulAmericano LIBRAF de danças, que contempla as categorias: Árabe, Jazz, Fitness, Hip Hop Latino e Pop Dance. 



A LIBRAF, sigla que significa Liga Internacional e Brasileira de Aeróbica e Fitness/Hip Hop é uma instituição mantida pela Franzen Fitness em Porto Alegre-RS. Claudio Franzen todo ano reúne profissionais de diversas áreas para auxiliá-lo na realização do evento Copa Brasil e Sulamericano. Suas palavras (conteúdo disponível no site):


A LIBRAF desde sua criação até hoje tem demonstrado seriedade e conduta em tudo que faz, meu trabalho em prol destes esportes tem sido constante para que possamos em um breve período demonstrar ao mundo que o esporte é sim a solução de muitos problemas de nossa sociedade, espero que no futuro, nossos meninos e meninas estejam engajados neste objetivo, não pensando nos seus próprios ganhos mas acima de tudo em um bem comum e de natureza sábia para a preservação de nossa espécie!
O ser humano sempre será a coisa mais importante para nós !

Aos que estão conosco e aos que entram na LIBRAF, Meu muito obrigado



O regulamento específico de Dança Árabe é elaborado pelas juízas do concurso Raquel Santos e Paula Ferreira (Hanife Hadassah), e possui detalhes como divisão de categorias até código de vestimenta, passando por uma descrição de todas as danças e principalmente dos acessórios permitidos para dança (não pude deixar de reparar na observação do pandeiro "instrumento simples, de madeira, sem fitas".... ahaha, ai ser todo mundo desclassificado concursos afora - Ô povo que gosta de fitinha no pandeiro). Mas o que me chamou a atenção, claro, foram os critérios de avaliação das coreografias. Vou colocar aqui só o índice para aguçar a curiosidade de vocês: 



Avaliação das Coreografias

1.1  Composição do Mérito Técnico
1.2  Composição do Mérito Artístico
1.3  Composição do Mérito Especialidade
1.4  Árbitro Chefe
1.4.1        Deduções
1.4.1.1 Penalidades referentes ao Mérito Técnico
1.4.1.2 Penalidades referentes ao Mérito Artístico
1.4.1.3 Penalidades referentes ao Mérito Especialidade
1.4.1.4 Deduções recebidas pelo Árbitro de Tempo
Desclassificações


***** FALA SÉRIO: IGUALZINHO AO MERCADO PERSA! *********


Depois leiam com calma o regulamento no link acima. 


Eu nunca assisti a um concurso da LIBRAF, não sei responder se o resultado é justo ou não, mas o fato é que de posse de um documento com esse nível de detalhamento é possível, no mínimo, reclamar com a organização do avento o pleno cumprimento do regulamento, visto que este está disponivel para baixar na internet com meses de antecedência - o evento será de 20 a 23 de Outubro. Mas quero acreditar que uma instituição que já tem filiais em 4 países não deixaria sua imagem ser manchada por um concurso mal organizado cujo resultado produz nos expectadores uma sombra de dúvida. 


Se você é da região Sul, prestigie este evento! Colabore para o crescimento do concurso de danças árabes da LIBRAF!


Para finalizar, um vídeo da jurada Hanife Hadassah que ADOREI. Uma dança leve, fluida e cheia de sentimento. Um deleite!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...