11 março 2011

11

Profissão e Religião - o exemplo de mestre Ailton da Mangueira

Mestre Ailton, comandante da Bateria Surdo Um - baluarte da Estação Primeira

Olá meninas!!

Ainda é recente a dor da perda de Carlla Sillveira, uma das maiores bailarinas do Brasil, para a religião evangélica. Em 13/09/2010 ela comunicou em seu site oficial o afastamento definitivo da dança do ventre alegando ser um chamado irresistível do Espírito Santo. Como expliquei neste post aqui, sou uma pessoa que frequentou uma igreja evangélica por 13 anos, li a Bíblia todinha 4 vezes e não consigo achar um único texto bíblico que justifique tal decisão.

Quem me acompanhou nos twitts de carnaval, sabe que eu sou uma torcedora fanática também da Estação Primeira de Mangueira, minha escola carioca do coração, estreando sob a batuta de Mestre Ailton. Sobre o desfile, nem preciso falar muito: a mega paradinha de 21 segundos ficou na história do carnaval carioca,  arrepiou corações na Sapucaí e ganhou o Estandarte de Ouro 2011 de Melhor Bateria (viu jurado nota 9? Vai tomar no...). Mas o que me chamou a atenção mesmo foi o Chico Pinheiro mencionar que Mestre Ailton é evangélico, e tem a intenção de ser pastor.

CHOQUEI! Enfim alguém que consegue conciliar sem culpas sua profissão, o dom que Deus lhe reservou, mesmo sendo considerado "da carne" e a religião? Existe esperança então habibas?

Para Mestre Ailton não há contradição em ser evangélico, inclusive presbítero de sua igreja (um cargo de responsabilidade e liderança) e ao mesmo tempo desfilar em uma escola de samba. “Sou um servo de Deus e acredito que as pessoas têm um dom. E acredito no plano de Deus para a minha vida. E faz parte passar por isso, estar à frente da bateria.” Mestre Ailton, antes de aceitar o convite do presidente Ivo Meirelles para comandar a bateria da Mangueira, conversou com sua família - também evangélica, e com seus orientadores na Igreja - que não encontraram impedimento bíblico para tal passo em sua carreira de percussionista. 

Quando perguntado sobre as tentações do carnaval, Mestre Ailton lança a queima roupa: "Todos nós somos pecadores. Só que tem um porém: eu tenho consciência que sou pecador, mas hoje não vivo pelo pecado.”

Infelizmente, a maioria das pessoas quando se converte à religião evangélica esquece que os nossos dons e talentos são conferidos a nós pelo próprio Deus "himself". Se pararmos para pensar, todos os "Dons Espirituais" descritos lá em Romanos 12, I Corintios 12 e Efésios 4  podem ser desenvolvidos por todos os seres humanos (descrição rápida: pregação, serviço, ensino, exortação, contribuição, liderança, misericórdia, sabedoria, conhecimento e fé - estes são os chamados dons espirituais).

Porém os Dons Individuais devem ser tratados como um presente divino, dado a cada um, e, na minha visão tosquíssima da coisa, rejeitar um presente divino é quase como rejeitar a presença do próprio Deus na sua vida. 

Que para nós fique o exemplo de Mestre Ailton da Mangueira, que soube com excelência conciliar sua profissão, seu dom individual, com sua religião, e com certeza, nos proporcionou uma das imagens mais lindas do carnaval:






"Mangueira é nação, é comunidade
Minha festa, teu samba, ninguém vai calar
Sou teu filho fiel Estação Primeira
Por tua bandeira vou sempre lutar."

11 comentários:

  1. Já disse Paulo Coelho: 'Quando uma bênção não é aceita, ela se torna maldição'. É radical, mas tbm acredito nisso. E adorei saber sobre o Mestre Ailton, ele - como poucos - não deturpou os significados da palavra. Sempre me lembro das descrições de Jesus andando entre ladrões, prostitutas e o povo. Há sentido em se isolar e ao invés de ajudar quem precisa viver num mundo à parte? Cada um com sua experiência do Divino, eu respeito e acho o máximo quando acontece, mas não me impede de ter essas reflexões. adorei o post! :)

    ResponderExcluir
  2. Para mim isto é um fato indiscutível , religião é religião o resto é o resto e ponto !!!

    ResponderExcluir
  3. Meu namorado estudou teologia, "quase" aceitou ser pastor e sempre fez e faz as coisas que gosta - mesmo sendo "coisa da carne".
    Eu sou espirita, ja trabalhei com apometria, tento fazer as coisas de forma correta, mas nem eu nem meu namorado concordamos que devemos deixar de fazer o que gostamos - colocando a culpa na religiao X, Y, Z...

    Acho que tudo é apenas um ponto de vista, ou uma desculpa de quem usa o nome de Deus e da religiao para fazer o nao determinada coisa!

    ResponderExcluir
  4. Como eu sempre digo: religião n.ã.o se discute. Cada um tem a sua e a verdade de cada religião parece ser única para seus seguidores, logo é impossível demover crenças que não condizem com a realidade de 2011 anos depois de Cristo. Enfim, Se a Carlla morasse em SP eu teria sido aluna dela por anos a fio, pois ela é uma das minhas divas brasileiras, mas como o Brasil é grande, fica difícil. Agora, em nome de Jesus, só por vídeo mesmo... :b
    Não a condeno pela escolha, só lamento profundamente...

    E, Verinha... O que foi aquela bateria da Mangueira? Tem ou não o dedinho de Deus nesta história?

    Bjoks, povo!

    ResponderExcluir
  5. Que blog legal!!! Como eu ainda não tinha passado por aqui????
    Fiquei chocada com a notícia da Carla Sillveira, se fosse possível transferir o talento dela pra mim (já que ela não vai usar mais né?), eu quero, nesses momentos, a gente lembra daquele velho ditado popular: Deus dá asas pra quem não sabe voar!
    Parafraseando e concordando:"Quando uma bênção não é aceita, ela se torna maldição".
    Enfim ... cada um é livre para fazer suas escolhas (ainda bem) e por isso devemos respeitar, mas que eu lamento eu lamento.
    Bjs (de luto pela notícia)

    ResponderExcluir
  6. Achei super interessante o post. Mas o importante é ser feliz neh...se assim ela é feliz acho válido. Também nao ia adiantar ela dançar se sentindo culpada. Uma curiosidade que tenho é sobre o islamismo: Não existe bailarina mulçumana né? ou há?? gostria muito de saber se nessa religiao é realmente "proibido". Beijosss

    ResponderExcluir
  7. Eu sou fanzoca da Carlla Sillveira, mas acho absurdo o argumento de que o mesmo Espírito Santo que a transborda de talento e de fé, a fez abdicar deste mesmo talento. É no mínimo incoerente, não acha?

    ResponderExcluir
  8. Há,também sou mangueirense roxa e a atitude do Ailton é mesmo exemplar. A mensagem de Deus pode e deve estar em todos os lugares, sem preconceito.

    ResponderExcluir
  9. Somente soube sobre a Carlla há algumas semanas e aqui em seu blog. Faço aula de DV há 5 anos e sou evangélica há 3. Faço aulas sem objetivos profissionais, somente p me distrair, como um esporte. Acho lindo a DV profissional, estudada...Comentei c meu pastor sobre isso e ele, surpreendentemente, disse q gostava de ler sobre tudo um pouco e q eu estudar dança era bom, o q importava era minha consciência diante de Deus, não há contradição em dançar e servir a Deus, dependendo d intenção. Outro dia, uma obreira disse p mim q o Espírito Santo ia me tocar e me mostrar q eu deveria parar de fazer isso. Fiquei bege! Pq se fazer DV é um mal, ir a praia, ir a academia, se cuidar tb é. Enfim, o q quero dizer é q o pecado está dentro de cada um (minha opinião singela), em nenhum trecho a bíblia repudia a dança. Gosto de DV, só não me apresento em público, festivais pq sou muito tímida e gosto mesmo é de ver pq não danço nada. Ainda digo mais, qdo faço aula busco pelo Espírito de Deus. Não há nada de depravado ou qqer outra coisa. Qto a Carlla, entendo sua decisão, pq até onde entendi ela parou de fazer apresentações mas continua dando aulas (me corrija se estiver errada). Tenho alguns dvds didáticos, já a vi dançando lindamente e seu brilho não será apagado. Busco a Deus a todo instante, permaneço na minha fé. Deus nos deus o livre arbítrio, a inteligência para discernirmos o q é bom do q não é. É só usá-la.

    ResponderExcluir
  10. Nossa !!
    Tbm sou evangelica e amo dança do ventre comecei a fazer aulas com minha filha de 10 naos que tbm gosta muito.
    não vejo pecado nenhum nisso, mas as pessoas da igreja ficam me julgando.
    Quero que Deus me mostre se tem algum erro na dança ou não.
    pq não quero pagar de dançar só pq os outros acham...
    eu marido me apoia e gosta que eu faço aulas de DV.

    ResponderExcluir
  11. Tipos de dança:
    1. DANÇA DA ESPADA: em homenagem a deusa Neit, a guerreira.2. DANÇA DO PUNHAL: a deusa Selkis, a rainha do escorpiões. Representa a morte, a transformação e o sexo.
    3.DANÇA DO CANDELABRO: Para celebrar casamentos e nascimentos de crianças. (consagração aos deuses representados pelas luzes das velas.)
    4.DANÇA DAS TAÇAS: Para exteriorizar a deusa interior adormecida.5. DANÇA DA SERPENTE: Para representar a sabedoria. (talvez lembrar a “sabedoria de lúcifer ao enganar Adão e Eva, Gn 3:1-5). Para despertar a sensualidade.
    6. DANÇA DOS VEÚS: Representa o despertar da consciência da mulher através dos 7 CHACRAS.7. DANÇA COM SNUJS: Utilizam-se pequenos címbalos de metais para “energizar” positivamente o ambiente.
    8. DANÇA COM O PANDEIRO: Para reverenciar os deuses da fortuna em momentos de festas, alegria, comemoração.

    Nos primórdios, povos como os mesopotâmicos e egípcios criam em Deusas, associadas a uma GRANDE MÃE. Assim, a veneração às divindades femininas era parte integrante das tradições sagradas mais antigas. A deusa ISIS é a deusa da lua, da beleza, da fertilidade e do sexo. O egípcios criam que ela era quem concedia a fertilidade (leia Jó 32:8), a beleza e feminilidade a todas as mulheres que dançavam em sua homenagem, lhe eram oferecida flor de lótus, incensos e essências, água e frutos. Enquanto os QUEREBES (sacerdotes) e o PADRE SEN (sumo sacerdote) preparavam a cerimônia, as sacerdotisas através da dança abriam um canal para o plano espiritual (leia Rm 8:26, 34). Ao deixarem o véu cair, simbolizavam a revelação do mistério divino, trazendo luz e sabedoria (leia Jo 1:9). A continuidade da dança atraia à terra o esposo da deusa que era Osíris.

    Curiosidades.
     A dança do ventre era indispensável em rituais para homenagear principalmente a “Grande Mãe” – Isis, visto que as bailarinas ou “sacerdotisas” eram a ponte para o mundo espiritual.
     Acredita-se que Cleópatra foi a primeira a desvirtuar a dança do caráter religioso ao usá-la para seduzir Marco Antonio.
     Salomé usou a dança para convencer o rei Herodes a entregar a cabeça de João Batista numa bandeja de prata (Mc 6:14-29).
     Uma sub-seita mulçumana (Alladui) acredita que o messias nascerá de um homem, já que a mulher não é digna de tal honra, por isso, nessa seita os homens praticam esta dança.
     A dança do ventre, está em constante evolução e se tornou um grande modismo, sendo praticada por mulheres de todas as idades e de diversas origens, ganhou teatros e, no Brasil, chegou até a TV na novela global O Clone, de Glória Perez, em horário nobre, alcançando milhões de pessoas.

    Depoimento de uma praticante.
    “Além dos benefícios físico, emocionais e energéticos,..., a dança nos transporta a um lugar entre mundos, abrem-se os PORTAIS DA MAGIA para nos conectar com a MAIS PRIMITIVA das forças: A GRANDE DEUSA. Através dos movimentos pélvicos da dança, proporcionamos a estimulação dos CHACRAS.”.

    Em suma.
    Sabemos que a maioria das mulheres que procuram uma academia para praticar tal dança visam quase sempre, praticar um esporte; aprender uma dança sedutora para seus esposos, para fazer um tratamento ou terapia por indicação médica, etc. Contudo, involuntariamente e inocentemente muitas estão por repetir gestos e/ou movimentos que “louvam” a entidades espirituais falsas, o que não agrada a Deus (Is 42:8). Assim sendo queridas(os) abram seus olhos e procurem de Deus uma confirmação em seu coração se o que você está fazendo é do agrado dEle (leia Jr 1:12). Lembre-se que o único que “te liga” a Deus é o nosso senhor e Salvador JESUS CRISTO (Jo 14:6) e não uma dança. Com a graça do Espírito Santo.

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...