16 novembro 2010

9

O Personagem

Sempre assimilei como verdade absoluta que é impossível subir no palco sem "encarnar" um personagem. A pessoa que acorda cinco e meia da manhã para ler as notícias na internet, trabalha em meio a homens e tem que ser homem para se fazer respeitar, a esposa, a filha, essa pessoa faz parte de um universo muito chato e cheio de regras. E a bailarina é sempre maravilhosa, deusa, feliz. O "chato" não faz parte do seu universo.

Ultimamente tenho me cobrado muito em "sair do personagem". Dançar sendo só a Vera é algo que me causa muito medo, mas também muita, mas muita curiosidade.


Sayuri, que encantou a todos quando levou "o melhor de si mesma" para o palco.

Em matéria de expressão, não me considero das piores não - é uma matéria que me cobro demais, estou sempre analisando, estudando, procurando letras traduzidas para tentar melhorar. Tenho prazer em dançar, e quero que as pessoas sintam isso de onde estão assistindo. Mas ainda falta para a entrega completa - o personagem sempre sobe na frente. E a verdade que não deixa de me atormentar, nem por um minuto, é o medo de parecer canastrona.

Fico observando, por exemplo, Dina, Randa e Soraia. Em minha opinião pessoal, das três, a que leva mais de si mesma para o palco é a Randa (ok, opinião parcial até as goelas, afinal "God save the Queen"). Sempre consigo enxergar muito mais a técnica e dança do que qualquer exagero em sua expressão - salvo quando ela resolve interpretar as letras, claro (sabe como é, meu árabe é fluente, entendo tudo, ehehe...) Quando assisto a Dina, sua atitude no palco GRITA "Canastrona" em meus ouvidos até doer. A Soraia... bem, a Soraia é maravilhosa também, mas sua interpretação nas músicas lentas também me soa fake demais, a expressão se sobressai à dança. Pode ser implicância, mas...

É fato de que não quero subir ao palco e fazer igual ao personagem do Paulinho Serra, que dança aquela música ultra sensual com cara de koo (alguém já viu aquele vídeo dos Deznecessários do Ex-Viado?). Mas acredito que o que faz a dança completa e sublime é a reunião, no palco, das diversas mulheres que somos todos os dias.

Beijo grande



9 comentários:

  1. Querida, que legal, me peguei analisando firme agora, não é que pra "proteger" quem somos, acabamos nos vestindo em personagens?

    Estou analisando se sou muito canastrona agora... rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Vera, acho q vivemos um personagem nas outras 23h do dia, mas no palco a gente mostra quem é. De verdade, viu.

    ResponderExcluir
  3. Samya Ju falou exatamente o que eu sinto: só sou 100% eu enquanto danço. No resto do tempo, sou a Lucy professora, a Lucy namorada, a Lucy filha...
    Eu ando com vontade de dançar músicas que revelem outros "eus", exercitando personagens (e sentimentos) que estão no meu inconsciente. Por exemplo: eu danço sempre sorrindo, um sorriso largo e feliz. E se eu dançasse uma música triste, que falasse de saudade? Como seria isso? Meu sorriso não serviria, teria que buscar algo guardado dentro de mim para essa música...na minha memória afetiva!
    Enfim, o workshop que fiz com o Tárik sobre técnicas teatrais aplicadas à DV está surtindo efeitos maravilhosos! Aprendizado de dentro para fora!
    Beijos, Verinha!

    ResponderExcluir
  4. Ah sei lá , acho que às vezes nós levamos a dança a sério demais.

    Na minha modesta opinião de entendedora de P.N. acho que a dança deveria ter menos cérebro e mais coração. Mesmo focando na técnica.

    Tem coisas que não tem como 'planejar' sentir ou transparecer , simplesmente acontece.

    Como aquelas vezes que assistimos à uma dança que simplesmente arrepia até os pelinhos do dedão do pé....

    Acredito que uma ARTE nunca deve ser totalmente planejada intelectualmente, mas SENTIDA sem rumo e sem direção... assim é verdadeiramente autêntica.

    Igual a um quadro por mais que você olhe avaliando a técnica utilizada, ele não deve existir somente para isso.

    A emoção que causa nas pessoas é sua verdadeira razão de existir e o artista por detrás da obra nunca deve esquecer isso....

    superbeijocas

    ResponderExcluir
  5. Hi girls!!!

    Oi Ju!!!

    Oi Samyta!!

    Então, várias vezes também penso isso, mas eu sou tão séria na maior parte do tempo... séria tipo Hitler mesmo, e quando estou dançando sou tão feliz, o que tá me "incomodando" no bom sentido é: será que estou sendo fake?

    Oi Lucy!!

    Eu também danço como você: sempre sorrindo, alegre...
    Fiquei aguada agora deste work com Tárik (aliás ficaria aguada até se vc me chamasse pra chupar limão azedo se tivesse o Tarik na minha frente, ahahah)

    Oi Paty!!

    Eu não diria que meu objetivo é planejar. Concordo com você que a emoção mais importante não é a minha, mas a que causo nas pessoas, porém minha "intriga pessoal" é o quanto de mim mesma consigo colocar em cima do palco.

    Olha, adorei o comentário viu!!!

    ResponderExcluir
  6. Gente, to com a Samya! por mais que a gente acabe acionando o 'botão do desliga', o personagem e a música, a gente sempre deixa vazar do que estamos cheias... pura essência! eu acredito nisso... a expressão pode até ser ensaiada, treinada, mas qdo ocorre a entrega, faz toda a diferença. e porque algumas não conseguem? por isso mesmo: a tal da 'entrega'. deixa sair!

    ResponderExcluir
  7. Vera, isso é um tesão! Que tal empregar um pouco dessa qualidade da Vera business woman on stage . . .afinal essa bailarina doce que enfiaram goela abaixo das bellydancers já morreu: foi traída, passada pra trás, a melhor amiga roubou o show dela e o público a detesta. O que o povo quer é ver essa mulher poderosa, e porquê não dizer:um tanto dominadora hã?
    Pra mim num tem mais jeito. Eu sou doce, meiga e bocó mesmo e quando eu danço tudo isso aparece por mais que eu tente esconder nos outros momentos da minha vida hahahahah

    ResponderExcluir
  8. Aff Samyta, coitadinha da "sweet bellydancer", fiquei até com dó:

    "foi traída, passada pra trás, a melhor amiga roubou o show dela e o público a detesta"

    Por favor, salvem a professorinha!!!

    ahahah...

    Brincadeiras à parte, quero sim colocar a "megera domada" em cima do palco. Quem sabe na próxima apresentação, vamos ver que bicho dá!!!

    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  9. Quero só ver hein Verinha!

    Vou esperar essa apresentação da bellydancer má hein?

    rsrsrsrs

    Beijos

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...