08 setembro 2010

7

Dançando com Símbolos Nacionais


** Este post deveria ter saído ontem, no 7 de setembro. Mas esse dia é um daqueles dias do ano que eu tiro para pensar em todos os minutos no meu Véio Seu Moreira (que Deus o tenha no Waldorf Astoria do céu) amado e saudoso que me levava TODOS OS ANOS para ver o desfile militar na Praça Tiradentes (... faz tempo).

Com certeza algumas de vocês já presenciaram apresentações de dança com pelo menos um dos nossos símbolos nacionais. De acordo com a lei nr. 5700 de 01/09/1971, os símbolos nacionais do Brasil são:

1 - a Bandeira Nacional.
2 - o Hino Nacional.
3 - as Armas Nacionais.
4 - o Selo Nacional.

Embora assinada pelo general com a pior fama dentre todos os que governaram na ditadura, Emílio Garrastazu Médici, a lei não foi revogada e permanece em vigor até hoje.

Me incomoda um pouco a licensiosidade com que nossos símbolos são utilizados para endossar manifestações artísticas como a dança, e, em especial, a dança do ventre. Em primeiro lugar, porque não é uma manifestação cultural do nosso país. É nossa interpretação da cultura de um outro povo. Em 2005, quando participei do concurso amador do Mercado Persa, uma moça que passou para a segunda fase dançou “Wayyak” – minha música preferida do Farid El Atrashe com o véu com a bandeira do Brasil. Muito embora o tema naquele ano fosse esse, simplesmente NÃO CASOU a música tradicional árabe até as orelhas, e a bandeira verde amarela.


A Kahina arrasou e o Brasil tinha ganhado de 3 a 1 naquele dia, até eu estava eufórica.
Mas também a ela se aplica o que estou falando hoje.

Aliás, acho que não casaria nem com a bandeira do Líbano, outro símbolo nacional (porém não nosso) preferido das bailarinas de dança do ventre.

E, quando a bailarina termina sua apresentação com o “Véu-bandeira”, ele vai parar onde?

Isso mesmo: no chão. Pode me chamar de Caxias, patriota-de-boutique, do que quiser, mas simplesmente me incomoda ver a bandeira do meu país NO CHÃO. Ademais, é uma infração do que determina a lei:

Art. 11. A Bandeira Nacional pode ser apresentada:

I - Hasteada em mastro ou adriças, nos edifícios públicos ou particulares, templos, campos de esporte, escritórios, salas de aula, auditórios, embarcações, ruas e praças, e em qualquer lugar em que lhe seja assegurado o devido respeito;
II - Distendida e sem mastro, conduzida por aeronaves ou balões, aplicada sôbre parede ou prêsa a um cabo horizontal ligando edifícios, árvores, postes ou mastro;
III - Reproduzida sôbre paredes, tetos, vidraças, veículos e aeronaves;
IV - Compondo, com outras bandeiras, panóplias, escudos ou peças semelhantes;
V - Conduzida em formaturas, desfiles, ou mesmo individualmente;
VI - Distendida sôbre ataúdes, até a ocasião do sepultamento.

Entendeu o “... em qualquer lugar em que lhe seja assegurado o devido respeito”? No chão é que não é, com certeza!




Alguém aí já viu uma bailarina de outro país que não o Brasil utilizando algum símbolo nacional estampado no véu? Nem eu.

Isso sem falar do fato que EU VI uma bailarina dançar com o véu que tinha estampado o escudo do CORINTHIANS.

Por mais que eu seja Corintiana até a última gota do meu sangue, não consigo achar certo, nem achar bonito, associar a dança árabe com nossos símbolos.

O figurino estampado com a bandeira nacional então, Cristo Rei! Não vou nem comentar, já vi bustiê no formato da Bandeira. Nem a poderosa Carlla Sillveira escapou da caneta:



O Hino Nacional é também outro símbolo que é utilizado com licenciosidade. Com todo respeito ao trabalho da Fátima Braga e à sua importância dentro do cenário de dança de São Paulo, não pude deixar de achar HORRÍVEL ela ter colocado o Hino Nacional em sua versão mais tradicional em uma de suas coreografias.

Peraí gente!

Quer homenagear o Brasil, ou representar o Brasil com nossa dança, escolha uma das músicas que identifica nosso país fora: tem Aquarela do Brasil e Sandália de Prata de Ary Barroso em suas MILHARES de versões, só para citar duas, fora a já onipresente "Brasileirinho". Sem infringir nenhuma lei, expandindo a manifestação artística do compositor e demonstrando nosso amor por esta terra abençoada.

A versão mais linda de Brasileirinho que já vi é da Lunah e do Anthar, dançando no festival da Luxor. Sem nenhuma bandeira, nenhum símbolo, nada verde e amarelo. Só ginga e talento brasileiro. Simplesmente épico.

Agora, em relação ao véu meu bem... Que tal um trabalho thai-dhai em verde e amarelo? Os ateliers de dança fazem cada trabalho belíssimo, com certeza haverá algum que lhe agradará.

Vamos representar nosso país da forma que mais impressiona os estrangeiros: com a altíssima qualidade da dança que se pratica aqui, e alcemos aos símbolos nacionais o máximo respeito!

“Carum est, quod rarum est”
(É estimado o que nos é caro)

Para finalizar, vou deixar aqui descrita as penalizações para quem desrespeita os símbolos nacionais:

Art. 35 - A violação de qualquer disposição desta Lei, excluídos os casos previstos no art. 44 do Decreto-lei nº 898, de 29 de setembro de 1969, é considerada contravenção, sujeito o infrator à pena de multa de uma a quatro vezes o maior valor de referência vigente no País, elevada ao dobro nos casos de reincidência. (Redação dada pela Lei nº 6.913, de 1981).

Beijos e boa semana!

7 comentários:

  1. Super concordo... não tem nada mais esdrúxulo que essa coisa de dançar uma dança oriental com uma bandeira brasileira nas mãos - fora que a combinação verde e amarelo só fica boa mesmo na bandeira... em trajes de dança é piegas até a morte!

    ResponderExcluir
  2. Aiiiii Shá!!!

    Doeu!!!

    Tenho um traje verde, amarelo e preto da Rejane mesquita coleção "Aquarela do Brasil"... Ahahahah...


    Beijo grande.
    (Ò, se tudo der certo, sabadão tô lá hein!!)

    ResponderExcluir
  3. né? eu pesquisei MUITO isso antesde ir pra India...e um dos meus amigos do grupo que viajou pra India é Médico do Exército Brasileiro, ele citou muito esse lance do uso da bandeira. Concordo com você. A pior parte é deixar no chão... eu tive que usar a roupa com as cores do Brasil a pedido do Rotary International - mas nunca mais viu..rs.. - e ainda tive o cuidado de usar a segunda pele, escrevi sobre isso no blog. amei o post! beijo beijo

    ResponderExcluir
  4. Então... eu não acho nada demais a criatura usar a bandeira do Brasil na estampa do véu de seda.
    Qto a dançar com o hino nacional eu já acho apelação demais. Menos, meninas. Menos.

    ResponderExcluir
  5. hahahhaa...desculpa aí, Verinha, mas verde e amarelo eu acho um horror! Só se salva mesmo na bandeira... mas de repente, com o preto, fica mais legal. Mas fala sério: sua roupa não tem bandeirinha estampada, né? Please, diz pra mim que não! ^-^

    ResponderExcluir
  6. Acho que é difícil pra vc se lembrar, é a roupa que eu dancei lá no Buda.

    Não, não tem bandeirinhas em lugar NENHUM, pode ficar tranquila, ehehhe!

    Beijim

    ResponderExcluir
  7. Lindona, tb nao curto este lance de bandeira rs... agora se for simbolo do corinthians pode usar de tapete rs... eca!!! rs.. Ohh lembrei o nome daquela bailarina do ano passado da mostra cultural que pagou peitchinho rs... é amiga da estrela ...hozune alguma coisa do tipo!! bjs

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...