30 setembro 2010

0

Inauguração do Estúdio de Danças Ana Claudia Borges


Time to PARTYYYYYYYY!!! Yeah!

Festa de inauguração do novo estúdio da Aninha, e as habibas de São Paulo estão super convidadas. Haverá show das "ultra blasters" Ana Claudia Borges e Suellem.

Data: 02/10/2010 - sábado - a partir das 20 horas.
Entrada: R$ 20,00 - somente convite antecipado.
Contato: 8216-6516

Estúdio de Dança Ana Claudia Borges
Endereço: Rua Deputado Emílio Carlos, nr. 850
Vila Campesina - Osasco - SP (atrás da Uniban)


Vejo vocês lá hein!!

Beijo

28 setembro 2010

6

Puro encantamento - Meu primeiro encontro com a Shimmie


Já se inscreveu no sorteio para ganhar a primeira edição da revista Shimmie? Olha ela lindona aí!!! Não perde tempo não, se inscreva agora! Você poderá receber a Shimmie em sua casa!




Agora senta que o relato é loooongo:

Eu resolvi separar os dois posts sobre a festa de lançamento da Revista Shimmie, porque um deles tem o objetivo de fornecer uma visão geral, para vocês terem uma idéia do que foi a festa.

Esse post é para contar das minhas sensações nesse dia que foi simplesmente mágico na minha vida, um marco na minha história com dança.

Quando fui ao ensaio no estúdio da Adelita Chohfi para a foto da coluna, houve uma reunião antes. Como eu estava atrasada, enquanto eu ia me maquiando, as meninas iam falando empolgadas sobre a festa de lançamento. Isso a 4 meses atrás. Eu observava e pensava: “Meu, essas meninas estão sonhando! Imagina que vai ser tudo isso.”

Eu mal sabia...

Eu já havia visto uma prévia da revista na nossa última reunião, e estava muito ansiosa de pegar a revista na mão e observar a reação das pessoas à minha coluna. LÓGICO. Quem não ficaria?

Uia!!!
Depois do almoço de domingo, comecei a me arrumar. Eis que a Dani me liga e fala “Verinha, a Lulu quer você pra maquiá-la hoje, tem jeito?” PUTZ. O que eu iria falar? Tem né! Que medo!!! O fato é que eu nunca fui fanzassa da Lulu, na realidade até houve um tempo em que eu não gostava, e até quebrava o pau com ela nos fóruns da vida. Mas ela foi professora de todas as minhas professoras nessa vida, então, mesmo que (bem) de longe, o que danço hoje reflete um pouco da dança dela.

Whatevers... peguei minha maleta, e bora pro Shangrilá.

Quando cheguei, tudo lindo, organizado, parece que já começa elevando sua autoestima logo na porta. Recebi a revista – “Ficou linda”, pensei! Meu marido já saiu caçando minha matéria, e me olhou emocionado “Olha vc aqui meu amôo!!”. Eu já comecei me emocionando daí, mas não podia chorar de jeito nenhum, afinal, como estava usando cílios postiços, nada de rímel a prova d´água.



Cumprimentei as meninas: Rhazi, Dani, Tatá, Brida, Adelita... Todas muito felizes “lambendo a cria” como disse a Rhazi.

Chegou a Lulu. Descemos pra fazer a maquiagem. Aniversário da Lulu, disputada por todos ela só queria EU. “Si sintí” nessa hora. Durante a maquiagem rimos muito de nossas brigas no Fórum KK em 2005, conversamos sobre a revista, maquiagem, blogs, viagens... O legal foi ver também a Lulu, pra cada um que entrava pra entregar um presente, ela começava a falar: “Ah ce viu que linda a Revista? Nunca, em nenhum lugar do mundo eu vi uma publicação igual, é um conceito pioneiro...” Ela estava tão empolgada quanto a gente!


Subi para o coquetel, estava LO-TA-DO. Todo mundo de revista na mão. Abraço nas amigas e hora do show!

Quero falar do show do Tarik. Não sei se foi o vinho, ou se eu estava feliz demais, ou se eu estava pilhada demais, o fato é que a apresentação me emocionou acima da média, e mesmo a dança sendo alegre e festiva, as lágrimas caíam sem controle. Pensei em todos os momentos desde o dia em que comecei, as vitórias, as derrotas, tudo o que me ajudou a construir minha personalidade na dança e, mais ainda, que me fez crescer como mulher. Veio tudo à tona.




Depois das apresentações, a Hanna Hadarah pediu meu autógrafo na matéria. Como assim, eu é que devia pedir um autógrafo a ela, por tudo o que ela é. Eu não sabia o que fazer, beijei a revista. Só depois meu marido disse que ela estava com a caneta na mão. Putz, que mancada!!! Coisas de Laurinha, ops, de Verinha!!!



Era aniversário da Lulu e houve uma apresentação de uma aluna PHODA. Depois da apresentação a Rose disse que era um presente para Lulu, que a menina NUNCA tinha se apresentado em público. Hã? Imagina quando ela estiver já acostumada. Segura peão!

Começaram a cantar, e, plano dos deuses, cantaram “O que é, o que é (Viver e não ter a vergonha de ser feliz...) do Gonzaguinha.

Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo...


Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor...


Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
Cantar, e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz
Ah meu Deus
Eu sei que a vida devia ser bem melhor, e será!
Mas isso não impede que eu repita: É BONITA, É BONITA E É BONITA!!!

Foi de arrepiar mulherada, sério. Sabe, às vezes a gente passa por certas coisas e não entende. Às vezes a gente reclama um monte do blog, e dos diversos tipos de pessoas que passam por aqui, boas e más, dos comentários - elogiosos ou cheio de ofensas veladas, de todas as indiretas no twitter, tanta coisa...  mas a realidade é que ele é a razão de eu estar vivendo isso tudo - o blog Amar el Binnaz. Tudo isso eu vivi porque um dia no ano de 2008 resolvi fazer um blog, e por causa desse blog, as idealizadoras da Shimmie conheceram e acreditaram no meu trabalho.

E vocês, leitoras, são parte vital dessa história. À vocês minha profunda homenagem.



Beijo grande!!!

27 setembro 2010

4

A festa de lançamento

Olá meninas.

Hoje eu vou escrever só sobre a festa – a descrição da blogueira. O sentimento da “persona bailarina” vou escrever até o final da semana.

A festa de lançamento da Revista Shimmie foi um evento fechado, realizado no Shangrilá House, em São Paulo, o QG de Lulu Sabongi. Eu nunca havia ido ao Shangrilá, então para mim TUDO seria surpresa (até a localização, bapho). A escola é linda, muito bem decorada, com aqueles vitrais que estão nos vídeos da Lulu, tudo clean e muito chique. A gravura com o desenho da Lulu na frente da loja da Simone Galassi é lindíssima.

Quando cheguei a calçada estava forrada de pétalas de rosas vermelhas. Um cheiro tão gostoso de rosas que vocês não tem noção. Me apresentei (NECAS de entrar de penetra nega, segurança na entrada e tudo), e já recebi meu exemplar da Shimmie e uma amostra do perfume Shimmie da Be Essence – que, aliás, é uma delícia.

O mais legal da festa foi observar a ansiedade das pessoas em pegar a revista e começar a folhear, já na porta mesmo ou nos bancos próximos. Somente depois de algum tempo as pessoas tiravam os olhos da revista e começavam a cumprimentar as pessoas. Entre os convidados, várias bailarinas, anunciantes, a primeira assinante da Shimmie (meu marido achou o máximo) e também a “imprensa da imprensa”.

Depois do coquetel regado a MUITO vinho (várias fotos com “zóin di birita”), nos reunimos para a “solenidade”. A Rhazi, nossa editora chefe, foi a mestra de cerimônias. Apresentou a equipe e fez um discurso (emocionado) sobre a Revista. E passamos às apresentações.

Tarik
(Fotos no vídeo ao final do post!!)
Quem inventou o apelido “pãozinho de queijo das bellydancers” foi muito econômico com o moço. Porque pão de queijo lembra aquele pãozinho pequenininho e o Tárik é qualquer coisa Pão de 2 Metros! Meu Deus!!!! (Marido MORREU de ciúme quando eu gritei LINDOOOO!!)

Tudo bem, me empolguei.

A dança foi belíssima, forte, alegre, vibrante. Música clássica, véu wings branco, espada, muita técnica, muita intensidade. O que mais me impressionou foi na precisão dos braços do Tarik, e mesmo executando alguns movimentos "femininos", ele exalava virilidade. Um show que me levou às lágrimas.

Lulu Sabongi

A primeira apresentação de Lulu foi ao som de "Ya msafer wahdak" com mantón. Linda. Não preciso ficar desfilando elogios aqui que todo mundo já sabe.

A segunda (e absurdamente melhor) foi ao som de "Set el Hosen", aí camarada, o bicho pega! Primeiro porque dançar uma música da categoria "clássica das clássicas" não é para qualquer um. Segundo porque era o aniversário da mulher e ela tava pilhadíssima!!! Gente, fala sério, que apresentação linda. Ao final, meu marido olhou pra mim e disse "É, ela realmente é um fenômeno." E olha que ele é mega crítico.

**********
Resumindo, foi uma noite de gala! O "Avant Premiére" da Revista Shimmie não poderia ter sido melhor, foi um dia que inspira muito sucesso para esta publicação!!

Carolzita!!!!!!!!!! Vc perdeu nega!!!!

O melhor vem agora!!!

Conforme prometido, vou sortear a Edição Histórica da Revista Shimmie pra vocês. Para ganhar é necessário ser seguidora do blog, e colocar o nome e o e-mail no box abaixo, ok? Envio para qualquer lugar do Brasil ou Exterior.




Boa sorte a todas!!! Quero ver todo mundo se inscrevendo hein!!!

Para finalizar, um vídeo com minhas fotos do lançamento da Revista. Espero que vcs curtam bastante!!!

26 setembro 2010

3

Maquiagem "PP - Pink and Purple"

Olá meninas!!!

Enquanto não sai o post sobre a festa da Shimmie que foi MARAVILHOSA, PERFEITA, EMOCIONANTE e whatevers, vou postar aqui meu tutorial de maquiagem que está no canal da Shimmie.


   

Maquiagem rosa e roxo, com esfumado em verde para não cair no "lugar comum" do preto, cílios enorrrrmes, do jeito que a DRAG gosta. Espero que vocês gostem. Pode ser usada tanto para dança, quanto para eventos "à paisana".




Boa semana a todas!!!!!!!!!!!!!

25 setembro 2010

20

Satisfação às leitoras

Olá meninas!!!

Pensei, pensei, pensei muito no dia de hoje e resolvi tirar o post "Conciliando interesses" do ar.

O post saiu do propósito, que era alertar para a insatisfação de muitas alunas, como de fato algumas leitoras ratificaram minha opinião nos comentários, e virou disputa particular, mais especificamente minha e de "um" grupo de blogueiras - quando vi a palavra "bafão" no Twitter acabou a brincadeira.

Como aqui quem manda sou eu, tá riscado.

Quero agradecer às minhas queridas leitoras e amigas: Daiana Cimiano, Marcelly, Laurinha, Juliana, Samya Ju, Naznin, Paty Noce e Giovana - suas observações e comentários foram importantíssimos para mim - obrigada pelo carinho.

E também quero deixar claro que neste espaço aqui sua opinião é sempre bem vinda, porém, se eu notar qualquer alfinetadinha maldosa ou indireta à minha pessoa, ao meu modo de escrever, ao meu modo de lidar com a dança, vou responder à altura sim. É minha casa, portanto, meu direito.

Afinal a internet é vasta e com certeza tem um lugar para se despejar o veneninho. Lá.

Não aqui.

Beijos a todas, e desculpem o desabafo. Realmente tinha gente que não merecia ler isso.
4

Na onda das tribalistas - Elizabeth Strong

Várias coisas me chamaram muito a atenção ao estudar os vídeos do Bellydance Evolution: colocou dança do ventre e mitologia grega no mesmo caldeirão, o talento para coreografar de Jillina, figurinos lindíssimos e homens dançando - tô 100% envolvida. Really.

Mas NÃO TEM como não ficar hipnotizada com a dança, a beleza e "a espada" de Elizabeth Strong. Aliás, como amante da maquiagem, também fiquei impressionada com a beleza da maquiagem para o espetáculo. Então, bora conhecer um pouco mais dessa bailarina.

Elizabeth Strong é da California, e desde muito jovem teve contato com a dança oriental. Discípula de Sahra Saeeda, foi para o Egito e para a Turkia para aperfeiçoamento, e ao retornar aos Estados Unidos virou membro do Aywah! Ethnic Dance Company. Daí para o Tribal foi um pulo. Ela foi membro das Bellydance Superstars em 2008 e 2009 - inclusive participa do DVD Evolution das BDSS (que coincidência). Após sua saída da companhia de Miles Copeland, ela foi trabalhar com Jillina e é uma das protagonistas do Bellydance Evolution.

Com vocês: Elizabeth Strong


Bellydance:


(A aparência dela nesse vídeo não lembro um pouco a Samya Ju?)

Figurino tribal e abordagem Bellydance



Tribal Fusion com Zoe Jakes

21 setembro 2010

6

Aulas de dança do ventre em Osasco

*Depois do surto da Paty aqui no post embaixo... Ahahhah*

Bom meninas, passei hoje só para dar um recadim:

A novidade mais quente em Dança do Ventre em Osasco é o "Ana Claudia Borges Studio de Danças". Ela antes tinha o Ventremania Studio, que era pequeninim, e ela ampliou. Tá luxo, tá luxo.

E eu estou abrindo uma turma de iniciantes, às quintas feiras, das 18 às 19:30.



Pra quem já é intermediário e quer participar do "Amar el Binnaz Cia. de Dança", a turma de ensaios é também às quintas feiras, das 20:00 às 21:30.

Se você é de Osasco e tem interesse: "Me liga, me manda um telegrama... uma carta de amor....". Me telefona, me manda um e-mail que eu dou maiores informações, ok?

Beijão a todas

20 setembro 2010

4

E a vencedora da promoção é...

Bom dia meninas!!

A sortudíssima vencedora da promoção que irá comigo à super festa de lançamento da Revista Shimmie é...

Sem mais delongas...

Vou falar já...

só mais um pouquinho... (criaturinha irritante)


Parabéns Carol Murad!!!!!!!!!!

Por favor, entre em contato comigo até hoje à noite!!!!

Um beijão à todas as meninas que participaram da promo!

Ai, e semana que vem, segundona SEM FALTA tem sorteio da Revista Shimmie "Em pessoa" - com envio para todo o Brasil. Você não vai perder né?

Beijão

16 setembro 2010

6

A surpresa da festa da Shimmie!!

Meninas,

Pra quem ficou se roendo de curiosidade de saber de quem vai ser o show no lançamento da Revista Shimmie:

Clique na imagem para ampliar

U.A.U.!!!!

A Lulu é quem faz aniversário no lançamento da Revista Shimmie, mas quem ganha o presente somos nós!! E ainda tem o PÃO (com P e A e O maiúsculo, do tamanho da beleza e do talento dele) de queijo das bellydancers, Tarik!

Fala sério, você que é de Sampa vai perder a oportunidade de participar deste evento VIP?

Se inscreve no sorteio AGORA amada!!!





Mas não esqueça: este é o primeiro de MUITOS eventos da Revista Shimmie, e, para as assinantes haverá promoções especiais e conteúdo exclusivo, fora a possibilidade de participar dos eventos BAPHO organizados pelas meninas da Divina Consultoria.

Não perde tempo não, clique aqui para assinar agora:



*********************

Outra novidade: a tia Verinha é a responsável pela seção "Usina de idéias" da Revista Shimmie. Nosso compromisso é com o conteúdo que VOCÊ LEITORA deseja! Então, se existe algum assunto que você tem interesse de ver explorado na Revista Shimmie, escreva para amarelbinnaz@zipmail.com.br. Entre os colunistas da Revista há não somente bailarinas, mas psicólogos, economistas, fisioterapeutas, cabeleireiros, artesãos, maquiadores, enfim... muita gente para "destrinchar" todas as suas dúvidas e fazer uma super matéria sobre o assunto de sua preferência.  Se a pauta sugerida por você for selecionada, o Amar el Binnaz vai enviar a Revista Shimmie no qual a matéria for publicada diretamente para sua casa!! 

Legal né?

Como eu disse: as publicações serão divididas entre "antes" e "depois" da Shimmie!!

Beijos a todas!!

15 setembro 2010

4

VOCÊ no lançamento da Revista Shimmie

Meninassssssssssssss....

Está para nascer.

Falta muito, muito pouco!

Eu ainda não posso contar nada (AIIIII QUE COCEIRAAAAA!!), mas uma coisa posso adiantar: as publicações sobre dança do ventre, a partir de agora, estão divididas entre "antes" da Revista Shimmie, e "depois" da Revista Shimmie.

Tudo o que eu disser aqui vai parecer jabá porque sou colaboradora da Revista, mas podem confiar que o resultado final foi fantástico!! Fotos lindas, diagramação PRIMOROSA (Josi: SHE ROCKS ALL OVER THE WORLD, YEAH!!!!!!), organização das matérias, enfim. Palavras da Lulu Sabongi "herself": não existe no MUNDO INTEIRO uma revista sobre dança do ventre igual à Revista Shimmie. Parabéns a todas as meninas: Marketing, Redação, Vendas, e as colunistas lindonas, cherosas e gostosas!!!



Ah, e tem a matéria da moça "maquiadeira" que ficou legal também, ahahah...

Mas como as meninas da Divina Consultoria tem um coração grande um tantão assim, elas me cederam um par de ingressos para a festa VIP de lançamento da Revista Shimmie, no dia 26 de Setembro lá no Shangrilá. 

O que vai ter lá? Ah, vai ter glamour, ou seja, a Revista Shimmie impressa e maravilhosa, gente bonita, os anunciantes, os colunistas (já deu uma olhadinha lá no site? Só gente pheeeeena meu bem), "uns mé pra nóis bebê", Adelita Chohfi fotografando tudo e o que mais?  Bom, a bailarina que vai fazer o show é surpresa, mas posso garantir: É BAPHO BEM!

E você, habiba leitora do Amar el Binnaz, que estará em São Paulo no dia 26 de Setembro, pode participar!! É só colocar o nome e e-mail na caixinha aqui embaixo. A promoção estará aberta até domingo à meia noite, e segunda feira na primeira hora já divulgarei a vencedora!


Boa sorte a todas!!!!

Ah e tem mais!!!!!!!!!! A tia Verinha promete, depois do dia 26, que vai sortear um exemplar da Revista Shimmie nr. 1.

E não esqueça: você também poderá assinar a Revista Shimmie direto pelo site da Loja Shimmie, pagamento através de Boleto, Cartão de Crédito de todas as bandeiras e whatevers. Para as assinantes da Revista terá conteúdo exclusivo no site!!! Vale muito a pena.



Beijim

13 setembro 2010

12

A despedida de Carlla Sillveira dos palcos

É guria! Não adianta nem esfregar os olhos que não é miragem, e você não está tendo nenhum tipo de alucinação.

Meu plano pra hoje era fazer um post do tipo "Cadê a Carlla Sillveira?". Eis que, quando entro no Multiply dela, encontro essa mensagem, com data de hoje:
******************


"Aos meus queridos fãs e amigos"

Há muito tempo, Deus tem tratado em muitas questões no meu coração. E hoje o Espírito Santo está cobrando-me de escrever este anúncio. Já queria ter feito isso antes mas não estava conseguindo.


Então resolvi compartilhar com todos vocês os meus sentimentos e decisões, por respeitar meu público.

O meu amor a Jesus Cristo leva me a isso e só quem já teve um encontro pessoal com o Senhor Jesus entenderá o que estou dizendo!

Comunico a todos que não dançarei mais, em obediência a voz do Espirito Santo no íntimo do meu coração.
Deus é TUDO para mim e a obediência a SUA VOZ e a sua palavra estão em primeiro lugar na minha vida.

Estarei organizando cursos, excursões, participando com vocês dos eventos e desse meio tão maravilhoso da arte da dança.Acompanharei e verei os grandes talentos que estão nascendo e crescendo , mas somente como platéia a partir de hoje.

Continuarei comercializando meus dvds através do site e na Luxor Artigos Orientais em São Paulo com o Kaled Curi.

Não deixarei de oferecer os cursos mensais em Belo Horizonte. Teremos em 2011, novamente com Lulu Sabongi e agora com a belíssima Kahina.

Não deixarei quem quer que seja sem uma palavra minha quando precisar! Estou aberta a fazer avaliações normalmente.

Não posso e não vou apagar meu passado de onde tenho doces lembranças, grandes amigos. Nunca esquecerei cada cidade onde já estive, todo carinho que já recebi, todas as conquistas, tudo que foi construído.

Está tudo registrado, em vídeos, em papel, na internet e principalmente em meu coração. Dever cumprido para com a dança é o sentimento que tenho hoje.

Obrigada a cada pessoa que um dia esteve comigo, participou de uma aula, que tem meu dvd, que escreveu-me um email ou me enviou um sms. Vocês moram na minha lembrança e fazem parte da minha estória.

Queria citar os nomes de todas as pessoas e lugares especiais, mas não quero correr o risco de esquecer ninguém.
Obrigada, Obrigada, Obrigada a cada cidade, lugar, restaurante, país, estado que me acolheram nestes 14 ANOS DE DANÇA.

Claro que não poderia deixar de dizer que estou também cuidando do meu quadril e logo , logo ele estará bom! Mas o principal motivo da minha parada não é este!

O MOTIVO MAIOR É O SENHOR JESUS!
A ELE TODA HONRA, TODA GLÓRIA, TODO LOUVOR. DEUS DA MINHA VIDA A QUEM QUERO AGRADAR EM TUDO E COM TUDO QUE HÁ EM MIM.

Aproveito para deixar duas mensagens:

1) Jesus ama você, morreu por você e tem um plano especial pra sua vida! Abra seu coração, seu entendimento e receba este amor que mudará sua vida. Que Ele seja seu Senhor e Salvador.

" Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" João 3:16

2) A todos que praticam essa dança linda, tenha reponsabilidade com seus corpos e com os de seus alunos. Estudem , alonguem, preparem-se, pratiquem outra atividade que dê a vocês o suporte para o físico, como o pilates que hoje considero o melhor.

Que Deus abençõe a todos e as suas famílias.

Estou sempre a disposição para o que precisarem!

Com muito carinho, respeito e admiração que tenho a todos.

Carlla Sillveira
 
*********************************
Eu ainda estou em choque com a informação... Sendo uma pessoa que viveu por quase 15 anos em uma igreja evangélica, eu entendo quando alguém diz que houve um mover do Espírito Santo em sua vida, e que o chamado foi irresistível, mas não consigo entender porque a dança e a religião não podem coexistir. Principalmente no caso da Carlla, que não tinha, nem por 1 único segundo, nada que lembrasse qualquer tipo de apelo sensual ou sexual.
 
Carlla dançando sempre foi uma rainha, elegante, impecável.
 
Que seja feliz com sua nova trajetória, mesmo que deixando uma legião de fãs e admiradores órfãos de sua graça, beleza, técnica e elegância.
 
Beijos a todas!!
 
 
Eu e Carlla na última vez que a assisti ao vivo, no Mercado Persa 2009.
 
 



Minha apresentação preferida da Carlla, ao som de "Hotel California" do Eagles

11 setembro 2010

4

Heavy Metal Bellydance


Como criança que viveu na década mais gloriosa e glamourosa da história da humanidade (e para alguns infinitamente brega), os anos 80, cresci ouvindo meus irmãos idolatrarem Iron Maiden, Megadeth, Kiss, Motorhead, AC/DC and afins. Claro que eu era a "ovelha farofa" da família, pois sempre tive uma quedinha por Poison, Guns and Roses, Skid Row, Danger Danger, The Cult e, acima de tudo, Bon Jovi do qual sou fã de carteirinha há exatos 20 anos.

Assim sendo, lógico que uma das "novas fusões" que o tribal vem trazendo mereceu minha atenção e carinho especiais: o Heavy Metal Bellydance.

Se você é daquelas bellydancers que tem a sólida convicção que no céu junto do altíssimo estão Farid el Atrashe, Mohamed Abdel Wahab, Setrak Sarkissian, Hossam Hamzy e amiguinhos, e tudo o que não vem deles vem do maligno, não, esse post não é pra você.

Mass.. se você gosta de fusões, vem comigo.

Quando a Giuliana Scorza da escola Harém Dança do Ventre estava maquiando as meninas no camarim, eu, que estava trabalhando no evento confirmando horários e colocando as meninas na ordem para dançar, perguntei qual era o grupo dela. Ela respondeu: "todas as meninas rock and roll aí". Olhei em volta: camisetas de bandas, calça de couro (ou que imitava couro), correntes, olho preto e boca muito, mas muito vinho. Lógico que fiquei curiosíssima. Quando perguntei pra Giu o que era aquilo, ela respondeu: "Culpa da Suhaila Salimpour meu!!"


"Dark Veil" - coreografia de Suhaila Salimpour

A música escolhida pela Giu foi do CD "Arab Rock" do Sérgio Montana, que eu já estava apaixonada a meses depois de assistir a performance com "Alf leyla we leyla" rock and roll feita pela Zahrah, porém em "bellydance normal":




O que achei bacana no estilo "Heavy Metal" que foi coreografado pela Suhaila, pela Giuliana, é a possibilidade 100% diversão que ele oferece. Não é um estilo para ser apresentado para leigos, claro, mas dentro "da caixinha", pode ser uma opção interessante de entretenimento. E vamos falar sério: imagina uma música, tipo assim, "One" do Metallica (que segundo meu marido foi compostas pelos deuses do Rock and Roll e o Metállica é, tipo assim, só o hospedeiro da bênção) com dança do ventre da melhor qualidade? Uiii, fiquei toda arrupiada!!



E mais alguns vídeos das apresentações ao vivo do Sérgio Montana com as bellydancers:




(Pensa que é só no Brasil os gritinhos de lindona, cherosa, gostosa?)


Beijos a todas, tenham um ótimo sábado!!!

Ah, em tempo: MUITO OBRIGADA pelo carinho das meninas com a Liga das Blogueiras, para as meninas que comentaram e todo mundo que me mandou e-mail! Com tanta energia positiva logo na apresentação, com certeza esse projeto será um SUCESSO!!!

10 setembro 2010

7

Liga das blogueiras


E aí gurias?

Bom, há algum tempo atrás eu, a Naznin e a Luana Mello demonstramos o interesse comum de reunir pessoas para fazer amizades e falar de dança. Nos reunimos, pensamos num encontro no Starbucks, uma tarde cheia de café gostoso e dança do ventre. Não deu!!

Mas a idéia de "reunir pessoas" em torno de um objetivo comum continua.

Estou pensando em algo tipo uma "Liga das blogueiras". A primeira parte do projeto é um blog com o maior blogroll EVER (de todos os blogs que visito, o blogroll do "Dança Corporativa" da Aisha Jalilah é o maior, ela linka todo mundo possível. Lindona) para que todo mundo conheça os blogs de quem participa, e post para todas as atualizações dos blogs. Meu "sonho" é ver blogs do Brasil todo participando, e a gente linkando todo mundo. Só e tudo isso.

E quem sabe numa segunda fase promover encontros, promoções e parcerias com benefícios para as blogueiras da Liga.

Sim, quero formar uma "rodinha". Mas uma "rodinha" grande, bem grande, que acima de tudo seja do bem, que dê visibilidade para todas as gurias que gostem de escrever (e aqui não importa se escrevem bem ou não), que traga novas amizades, que traga mais proximidade às pessoas que já se relacionam, enfim, que traga coisas boas e energias positivas para o nosso meio.

Porque de "grupinho" que adora falar mal da vida (ou dos blogs) alheios, o mundo tá cheio né? Vamos neutralizar essa energia Brasil afora meninas!!! 


Antes de começar a tocar este projeto, quero uma opinião de vocês que visitam o Amar el Binnaz, se é legal, se dá certo, se participa, enfim...

Um beijo carinhoso a todas e um ótimo final de semana!

08 setembro 2010

7

Dançando com Símbolos Nacionais


** Este post deveria ter saído ontem, no 7 de setembro. Mas esse dia é um daqueles dias do ano que eu tiro para pensar em todos os minutos no meu Véio Seu Moreira (que Deus o tenha no Waldorf Astoria do céu) amado e saudoso que me levava TODOS OS ANOS para ver o desfile militar na Praça Tiradentes (... faz tempo).

Com certeza algumas de vocês já presenciaram apresentações de dança com pelo menos um dos nossos símbolos nacionais. De acordo com a lei nr. 5700 de 01/09/1971, os símbolos nacionais do Brasil são:

1 - a Bandeira Nacional.
2 - o Hino Nacional.
3 - as Armas Nacionais.
4 - o Selo Nacional.

Embora assinada pelo general com a pior fama dentre todos os que governaram na ditadura, Emílio Garrastazu Médici, a lei não foi revogada e permanece em vigor até hoje.

Me incomoda um pouco a licensiosidade com que nossos símbolos são utilizados para endossar manifestações artísticas como a dança, e, em especial, a dança do ventre. Em primeiro lugar, porque não é uma manifestação cultural do nosso país. É nossa interpretação da cultura de um outro povo. Em 2005, quando participei do concurso amador do Mercado Persa, uma moça que passou para a segunda fase dançou “Wayyak” – minha música preferida do Farid El Atrashe com o véu com a bandeira do Brasil. Muito embora o tema naquele ano fosse esse, simplesmente NÃO CASOU a música tradicional árabe até as orelhas, e a bandeira verde amarela.


A Kahina arrasou e o Brasil tinha ganhado de 3 a 1 naquele dia, até eu estava eufórica.
Mas também a ela se aplica o que estou falando hoje.

Aliás, acho que não casaria nem com a bandeira do Líbano, outro símbolo nacional (porém não nosso) preferido das bailarinas de dança do ventre.

E, quando a bailarina termina sua apresentação com o “Véu-bandeira”, ele vai parar onde?

Isso mesmo: no chão. Pode me chamar de Caxias, patriota-de-boutique, do que quiser, mas simplesmente me incomoda ver a bandeira do meu país NO CHÃO. Ademais, é uma infração do que determina a lei:

Art. 11. A Bandeira Nacional pode ser apresentada:

I - Hasteada em mastro ou adriças, nos edifícios públicos ou particulares, templos, campos de esporte, escritórios, salas de aula, auditórios, embarcações, ruas e praças, e em qualquer lugar em que lhe seja assegurado o devido respeito;
II - Distendida e sem mastro, conduzida por aeronaves ou balões, aplicada sôbre parede ou prêsa a um cabo horizontal ligando edifícios, árvores, postes ou mastro;
III - Reproduzida sôbre paredes, tetos, vidraças, veículos e aeronaves;
IV - Compondo, com outras bandeiras, panóplias, escudos ou peças semelhantes;
V - Conduzida em formaturas, desfiles, ou mesmo individualmente;
VI - Distendida sôbre ataúdes, até a ocasião do sepultamento.

Entendeu o “... em qualquer lugar em que lhe seja assegurado o devido respeito”? No chão é que não é, com certeza!




Alguém aí já viu uma bailarina de outro país que não o Brasil utilizando algum símbolo nacional estampado no véu? Nem eu.

Isso sem falar do fato que EU VI uma bailarina dançar com o véu que tinha estampado o escudo do CORINTHIANS.

Por mais que eu seja Corintiana até a última gota do meu sangue, não consigo achar certo, nem achar bonito, associar a dança árabe com nossos símbolos.

O figurino estampado com a bandeira nacional então, Cristo Rei! Não vou nem comentar, já vi bustiê no formato da Bandeira. Nem a poderosa Carlla Sillveira escapou da caneta:



O Hino Nacional é também outro símbolo que é utilizado com licenciosidade. Com todo respeito ao trabalho da Fátima Braga e à sua importância dentro do cenário de dança de São Paulo, não pude deixar de achar HORRÍVEL ela ter colocado o Hino Nacional em sua versão mais tradicional em uma de suas coreografias.

Peraí gente!

Quer homenagear o Brasil, ou representar o Brasil com nossa dança, escolha uma das músicas que identifica nosso país fora: tem Aquarela do Brasil e Sandália de Prata de Ary Barroso em suas MILHARES de versões, só para citar duas, fora a já onipresente "Brasileirinho". Sem infringir nenhuma lei, expandindo a manifestação artística do compositor e demonstrando nosso amor por esta terra abençoada.

A versão mais linda de Brasileirinho que já vi é da Lunah e do Anthar, dançando no festival da Luxor. Sem nenhuma bandeira, nenhum símbolo, nada verde e amarelo. Só ginga e talento brasileiro. Simplesmente épico.

Agora, em relação ao véu meu bem... Que tal um trabalho thai-dhai em verde e amarelo? Os ateliers de dança fazem cada trabalho belíssimo, com certeza haverá algum que lhe agradará.

Vamos representar nosso país da forma que mais impressiona os estrangeiros: com a altíssima qualidade da dança que se pratica aqui, e alcemos aos símbolos nacionais o máximo respeito!

“Carum est, quod rarum est”
(É estimado o que nos é caro)

Para finalizar, vou deixar aqui descrita as penalizações para quem desrespeita os símbolos nacionais:

Art. 35 - A violação de qualquer disposição desta Lei, excluídos os casos previstos no art. 44 do Decreto-lei nº 898, de 29 de setembro de 1969, é considerada contravenção, sujeito o infrator à pena de multa de uma a quatro vezes o maior valor de referência vigente no País, elevada ao dobro nos casos de reincidência. (Redação dada pela Lei nº 6.913, de 1981).

Beijos e boa semana!

05 setembro 2010

0

Valorize seus pontos fortes



Estes dias eu estava conversando com minha prô Aninha sobre a pré seleção. A Ana é jurada na pré por ser bailarina Noites do Harém, e tem um aproveitamento altíssimo de alunas aprovadas pela banca: só 1 das preparadas por ela não foi aprovada. A escola está com 4 meninas na seleção, e digo para vocês: já vi todas dançarem e acho meio impossível elas não serem aprovadas. Tipo: dançam "pá carai" mesmo.

Daí que falamos de músicas, coreografias, revistas e dissertamos um longo tempo sobre a preparação da bailarina com um objetivo maior, que pode ser a pré-seleção, uma audição importante, ou qualquer coisa parecida.

Enquanto somos parte de um grupo, passamos o tempo todo correndo atrás das nossas limitações: temos que batalhar o que está "pior" para não atrapalhar o trabalho cênico do grupo. Os passos que temos mais dificuldade, as sequências que mais nos arrancam cabelos. E como esse processo é responsável por grande parte do que constrói nossa "persona bailarina", isso acaba virando um ciclo vicioso: estamos sempre correndo atrás do que está pior, e o que está bom fica adormecido, senão completamente  ESQUECIDO dentro de nosso estudo.

Quando os solos começam a surgir e o nível a subir, começa também uma cobrança velada por movimentos mais elaborados: "pô, mas nem um tremidim com camelo?", "básico egípcio só com tremido agora hein", "cadê o arabesque?", "a finalização da andada com contratempo tem que ser com shimmie". E bora continuar a saga "Em busca do movimento perdido".

Não estou aqui dizendo que esse método de ensino não dá resultados, por favor. Claro que dá. Mas tem que haver espaço para a valorização dos pontos fortes.

Para conhecer estes pontos, não hesite em pedir a ajuda de sua professora. Faça um solo, uma avaliação, filmem tudo e discutam depois. Se você já é profissional, e ainda tem dúvidas sobre quais são seus movimentos "da manga", filme uma apresentação, se debruce sobre ela e anote tudo o que você tem de melhor.

O seu ponto forte pode ser sua expressão, pode ser a execução de um movimento, a identificação precisa de um ritmo, sua movimentação no palco, um gesto, uma pose. De posse dessa valiosíssima informação, aplique o Kaisen sobre ela (putz, tô toda administradora hoje hein! Tá achando que meu diploma tá só pindurado na parede?). 

O kanji que ilustra a palavra Kaisen

O que é Kaisen?
Kaisen é uma palavra japonesa, onde “Kai”significa Mudar e “Zen” significa Para Melhor. Porém, a tradução que expressa melhor o significado da filosofia é “Melhoria Contínua“.

Com seus pontos fortes devidamente identificados e anotados, analise sobre o que é possível melhorar neles. O seu ponto forte é a expressão? Aprender o significado da música que se está dançando para dar um up na interpretação iria melhorar em MUITO o que você tem de melhor. Seu ponto forte é deslocamento, porém seu repertório é limitado (e realmente, essa é uma matéria onde se disserta pouquíssimo sobre em dança do ventre), faça um plano de estudo com sua professora, desenvolvam um trabalho de pesquisa no jazz, no contemporâneo para buscar novas soluções.  Seu ponto forte é "fazer poses", estude sequências com os passos que você tem de melhor, e elabore mais a finalização das frases e suas poses.

O céu é o limite.

Para a professora é também uma tarefa "a mais" (dentro das milhares de atividades que uma professora tem que desenvolver em sala de aula para manter suas alunas interessadas, motivadas e aptas a encarar o palco todas as vezes quanto necessário), porém, com certeza, irá enriquecer sua atividade docente, bem como vai trazer também o benefício de explorar os pontos fortes em si mesma.


Na preparação do solo, coreografado ou "de improviso" este estudo também fará uma grande diferença. Principalmente na preparação de um trabalho como a pré-seleção. Devido ao fato de que na pré-seleção a música é uma loteria, é de extrema importância de que se conheça os pontos fortes para mostrar à banca julgadora o máximo de segurança possível (se brincar até a segurança impossível, mas daí é mais difícil, hehe). Não entra nessa de "deixar o melhor para o final". TODA a sua dança será avaliada.

Não esqueça de ter todas essas informações devidamente anotadas (professora que diz que aluna de dança do ventre não tem que ter caderno deve ser questionada. SEMPRE).

Divida seu tempo entre os passos que você tem que aprender e melhorar, e entre o que você tem de melhor, e pode melhorar MAIS AINDA. Você verá que só terá benefícios, o maior deles é contar com muito mais aplausos.

Beijos a todas

03 setembro 2010

3

As fases da aprendiz de bailarina


Olá habibas!

Um dos textos mais famosos em dança do ventre é "As fases da bailarina", escrito por Jorge Sabongi. Resolvi, para descontrair, escrever "As fases da aprendiz de bailarina", afinal, a glória da lantejoula, ou, em tempos atuais, paetê holográfico, é um longo caminho a ser percorrido.

O primeiro sentimento em relação à dança do ventre:
"Ah, dança do ventre? Acho tão lindo... Tem uma moça no meu trabalho que faz, diz que é muito difícil! Mas eu assisti O Clone, não achei tudo isso não. Aquela dança que a Jade faz para o Said no quarto com aquela espada liiinda... ai, assim que tiver uma oportunidade vou fazer dança do ventre."

A procura pela escola:
"Eu queria uma escola perto da minha casa ou do meu trabalho. Procurei no Google por "Escola de Dança do Ventre", mas não achei nenhuma perto da minha casa. Mas tem uma academia de ginástica aqui perto que oferece aulas de dança, acho que vou me matricular.

A primeira aula:
"Cheguei no horário, após 20 minutos de espera, perguntei à recepcionista se haveria aula. Ela disse que a professora não poderia ir à academia por motivos pessoais. - Fazer o que, voltei pra casa."

A primeira aula:
"Liguei antes para perguntar à recepcionista se haveria aula de dança do ventre. Ela me respondeu que sim, me vesti e fui. A recepcionista me apresentou à professora, que perguntou se eu já havia feito algum tipo de aula de dança do ventre antes. Respondi que não.  Começa a aula.
Percebo que as meninas já estão bem mais avançadas, mas a professora diz que eu sou talentosa, então vamos. Noooossa, descobri que o tal "básico egípcio" é totalmente diferente do que eu pensava?"

O primeiro mês
"Dia de aula de dança do ventre. Será que vou mesmo? Nossa, tive um dia cheio...
Vou vai... comecei a treinar uma coreografia, tô pensando em aceitar o convite da minha professora para dançar daqui a 3 semanas. Tô abalando, as meninas da sala de aula já começam a copiar meus passos, e a prô diz que eu sou excelente. Nasci pra isso."

A primeira apresentação
"Menina, que medo. Será que conto pra minha professora que sou péssima em guardar sequencias? Acho que não, coitada, ela tá tão atarefada com essa apresentação, não vou aporrinhá-la não. Mas vou fazer AQUELE cabelo e AQUELA maquiagem. Você acredita que chegou uma menina nova que já fazia aulas em outra escola e as meninas acham que ela é o must? Queeeeeeem mandou? Nossa, tô batalhando há dois meses, toda aula ensaio pra caramba.... hã? ensaio em casa? Ah não, não tenho tempo, é marido, filhos, muita coisa na minha cabeça..."

Assistir a primeira dança
"Ah, quando saímos do palco minha professora chorava de emoção, e dizia que aquela música Habibi ya eini é uma das mais difíceis que existe! Na aula ela disse que fomos maravilhosas. Eu sei, tô mandando bem pra caramba. Lulu Sabongi que se cuide, tô chegando.


 Essa professora é demais. Vou fechar o pacote ANUAL com ela."

A primeira decepção
"Como assim não posso dançar na frente?"

A primeira grande descoberta
"Menina, uma amiga minha me deu um endereço de um blog, o AMAR EL BINNAZ, que é super legal, nossa, tô adorando"... Ahahah, não podia perder essa.


O primeiro solo
"Eu vou ter uma desinteria... ah, vou me borrar toda, dançar sozinha no palco, meu DEUS. Será que posso tudo isso?"


A maior de todas as descobertas
"É, tenho muito que aprender, deixa eu levantar o bumbum do computador e começar a treinar, e muito"

*************

Depois de tudo isso é que podemos aplicar o texto "As fases da bailarina"!

Essa é só uma brincadeira hein gente!!! Não vão levar a sério!!!!!!

Beijos a todas e bom feriado

01 setembro 2010

1

Cabaret Style



No DVD "Bellydance Divas", a narradora faz a dissertação sobre o estilo egípcio como tendo sido dividido em dois: "Egiptian Style" - a tradução literal de estilo egípcio, e "Cabaret Style", a tradução literal de estilo de Cabaré. Mas o que "raios" significa "Cabaret Style"?




Nós, brasileiras, não colocamos diferenças no estilo praticado. Se a dança é mais calma, introspectiva, de movimentos menores, no melhor estilo Lulu Sabongi, pela influência das literaturas disponibilizadas pela Khan el Khalili chamamos tudo de "estilo egípcio". As americanas separaram a dança que foi idelizada para ser "performática" e a chamaram de Cabaret Style.

Vamos à uma interpretação livre da definição:

Cabaret style é a dança do ventre no estilo egípcio, ou seja, movimentos menores e mais controlados, porém executada de uma forma mais sofisticada, com influencias e movimentos de outras danças tais como jazz e ballet clássico, com maior utilização de espaço cênico e predominância da meia ponta.


A Origem

O estilo "Cabaret" executado nos dias de hoje (o qual "vestiu" perfeitamente o modo de dançar da brasileira) foi idealizado pela bailarina e empresária Badia Masabni (1893-1974). Como todos sabem pelas vídeo-aulas da Lulu, Badia era proprietária de um Night Club chamado "Badia Masabni Opera Casino", e é considerada a "Godmother" da dança oriental, tendo descoberto talentos como Taheya Karioka, Samia Gamal e Nadia Gamal e a melhor de todas, Naima Akef. O objetivo de Badia Masabni enquanto "empreendedora" era atingir um público de mais alto nível e maior poder aquisitivo. Então ela iniciou o primeiro case de direção artística do nosso meio: começou a direcionar a dança das bailarinas de seu clube de forma a adquirir maior impacto cênico, inclusive com uma maior utilização do espaço cênico, e sofisticados trabalhos de pés herdeiros do ballet, tais como arabesques e contretemps (contratempos) além dos giros. Os braços também ganharam desenhos mais definidos, tudo influência da dança clássica, e passaram de coadjuvantes a protagonistas, parte essencial no processo criativo.

Há quem pense que o Cabaret Style incorpore também os movimentos de chão. Não, o estilo de Cabaré não incorpora movimentos de chão por conta das restrições legais, afinal, no Egito dança também tem que respeitar leis. Ademais, não fazia parte do repertório mais procurado pelo público.  Hoje "tá dominado", Soraia, Dina e Randa dançam por lá com figurinos cada vez menores e mais ousados.

                                                  ]
Cabaret Style "Antes" e "Depois" - será que era isso que Badia Masabni tinha em mente?


Também no Cabaret Style desenvolvido por Badia Masabni vemos a popularização da dança com sapatos de salto. (Alow Samia Gamal!)



Saida - Cabaret Style levado às últimas consequências!!


A roupa

O figurino Cabaré é o figurino da forma mais tradicional como o conhecemos hoje: 2 peças, bustiê ricamente bordado e cinturão com franja. Devido às restrições da lei egípcia, antigamente as bailarinas dançavam sempre com a famosa barrigueira, então não tardaram a surgir os vestidos específicos para dança

Sohair Zaki e seus famosos figurinos com barrigueira.


Quem dança?

Todas nós. Podemos dizer que a dança do ventre mais praticada no Brasil é o Cabaret Style, com essa influência indelével do ballet (que acaba sendo tãaaao grande que a gente tem que classificar a dança em "com ventre" e "sem ventre" - Alow Lory!!) e com as modernizações que nos permitiram fazer da dança um show muito envolvente e interessante. Tudo isso graças à Badia Masabni.

À ela nossa homenagem por ter imortalizado o estilo Cabaré, a dança da forma que a conhecemos hoje!

Beijos a todas!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...