14 agosto 2010

4

To be or not to be: Petite Jamila

Esse batom tá errado... muito errado...
Olá habibas...

Este post foi inspirado no post do blog da Suheil sobre as BDSS no Brasil, onde ela cita a bailarina Petite Jamila.

É o tipo de bailarina que você assiste e pensa: "Ser ou não ser, eis a questão". Totalmente profundo e hamletiano.

O nome dela não é por acaso - ela escolheu o nome "Petite" porque sua mãe, Jamila Rasa foi também bellydancer com um nome respeitado no estado do Alabama, sua terra natal. Tipo eu e minha mãe: ela é Vera, eu sou a Verinha, sacou? A mãe dela é "Jamila", e ela então é "Petite Jamila".  Diz sua biografia que ela começou os estudos na infancia com sua mãe, aos 15 anos ela já era bailarina profissional, e aos 17 já tinha 2 DVDs didáticos no mercado (totalmente Isis Mahasin feelings!).


É o que eu sempre digo: maquiagem é TUDO na vida da gente!!!

 
Aos 21 anos passou a integrar as Bellydance Superstars, onde está há 6 anos. É a "dona do véu" da companhia, sem perspectiva nenhuma de ninguém lhe tomar o título, já que ela é um talento nato neste instrumento.



Assumiu o estilo "modernets" e é Deus no céu e Hakim na terra bem ao lado de Miles Copeland.

E a dança do ventre da menina?

Bem....





Não vou gongar "tuto" logo de cara, mas é visível claramente que esta moça se tornou dependente de ter algo nas mãos para dançar. No último vídeo, observe que ela movimenta as mãos e os braços como se estivesse com os snujs e fica muito feio cenicamente.

Por que a dúvida entre "ser ou não ser"?

Porque "Ser" - O talento da Petite Jamila para os véus, e o equilíbrio com os giros contínuos é realmente um diferencial, e deve ser perseguido por todas as bailarinas que querem ter um elemento explosivo em seu repertório! Ela literalmente é um estouro.

Porque "Não ser" - Porque falta o "sentir a música", falta muito de fluidez e leitura musical, e falta mais ainda gosto para os figurinos.

Vou dizer a verdade a vocês: eu a acho um talento. O que faltou nela eu acho que foi um coach mais "raks sharki" do que "bellydance". Se ela ficasse no Brasil uns seis meses sendo treinada por Lulu, por Brigitte Bacha, por Carlla Sillveira, de forma intensiva tipo lavagem cerebral mesmo, quando terminado o treinamento O MUNDO IA TREMER com a dança dessa moça. Imagine uma dança muitíssimo bem executada, com o talento que essa moça tem para os véus? Porcocane!!! Tudo o que faltou foi boa orientação, porque talento ela tem de sobra.

Vou terminar com uma perfomance dela com uma harpista que eu acho muito bonita, e o véu tem toda uma coisa "homenagem ao Brasil" feelings.


E vocês, o que acham?

Beijos

4 comentários:

  1. Não acho que falta à moça apenas "sentir a música", fluidez e leitura musical. Falta é dança do ventre.

    ResponderExcluir
  2. Meu, eu acho a expressão dela meio "sofrível"... mas o q ela faz com akele véu duplo é surreal.

    ResponderExcluir
  3. Acho que ela tem uma das posturas mais bonitas entre as bailarinas do BDS, uma verdadeira moldura para a dança.Não acho que falte dança do ventre, mas o forte dela realmente são os véus.

    ResponderExcluir
  4. Acho que ela tem uma das posturas mais bonitas entre as bailarinas do BDS, uma verdadeira moldura para a dança.Não acho que falte dança do ventre, mas o forte dela realmente são os véus.

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...