31 agosto 2010

4

Sobre o que acontece na Bellynet: Nhé!


Olá meninas...


Desde a apresentação final da Lulu na KK no final do ano passado (ótimo post com a análise completa da dança no blog da Naznin, clique aqui), e a célebre frase “além do que está sendo publicado na internet neste momento”, foi aberta a temporada da “carta aberta” para nossas caras colegas bailarinas e a baixaria vem correndo solta na NET.

Ano passado uma aluna minha que também faz aulas com uma bailarina starlet de São Paulo e estava afastada de “licença maternidade”, quando voltou para iniciar suas aulas sacou em primeira mão: “Veriiiiiiinha, tá sabendo do bafão? Nossa, fulana brigou com a ciclana, saiu da escola, tirou as alunas, vixe...” Eu, na minha inocência perguntei: “Mas se você estava em casa, como ficou sabendo?” Ela respondeu: “Ah, a fulana mandou e-mail para todas as alunas...”

Como assim?

Ninguém agüenta mais manter seus sentimentos no recôndito do seu e-mail e da pessoa  a quem a mensagem se dirige: o lance é PU-BLI-CAR! E transformar as admiradoras de dança do ventre em membros de torcida organizada que, ávidas por um barraco, só faltam ir aos Orkuts, blogs, twitters e afins e dizer “Hey, fulana, vai tomar no ...”

Fico passada com essas coisas. E olha que sou drag traveca que A-D-O-R-A um barraco!! Mas realmente o povo tem saído da linha.

Se tem uma coisa que é PEQUENA e dá muuuuitas voltas, ah dá, é esse mundinho de dança do ventre. Nunca pense que quando atirar pedras ninguém está olhando. A maioria olha, observa, e faz suas escolhas. Nenhuma história de carreira de sucesso está isenta de ser manchada para sempre por uma palavra falada em um momento ruim. NINGUÉM DEVE CUSPIR NO PRATO EM QUE COMEU, SEJA NA DANÇA, SEJA NA VIDA.

Existe uma grande diferença entre defender uma opinião e atirar pedras sem motivos (ou com algum outro motivo que a ética impede a divulgação). Vou dar um exemplo: no ano de 2006 me envolvi até as orelhas no bafão entre as comunidades do Orkut e o Sr. Jorge Sabongi, a famosa história das maçãs podres. Lembrando que o famoso manager rotulou as bailarinas gordinhas de “maçãs podres, pessoas de baixa auto estima, que vivem com uma atitude de comiseração, pedindo desculpas por estar acima do peso”. Não tenha dúvidas que ataquei com unhas e dentes e coloquei minha opinião sem medo de ser feliz. Pô o cara me chamou de maçã podre!!!!!!!!!

De “brinde” ganhei antipatia de várias presidentes dos fãs clubes da Casa de Chá (Neucimar, I miss you!!), até de algumas bailarinas da casa, e eu já tinha sido expulsa do fórum KK, já estava no “limbo” dos e-mails bloqueados pela casa de chá, a partir dessa história passei para as masmorras do inferno por lá, mas de tudo o que fiz, fiz consciente de que estava defendendo minha verdade.

O mesmo se aplica à famosa “não vinda” da Dina no evento da Hayat em 2007. Muita gente se sentiu lesada pelo comportamento na Rede Hayat na época, e eu já sabia que a Dina não viria desde o mês de Julho. Aliás eu que tinha uma amiga recém chegada do Egito, e mais todas as pessoas que tinham contato com uns tais empresários famosos que têm relacionamento com as bailarinas egípcias sabiam. E foi o que foi: todo mundo ficou puto da vida, mas quase ninguém se expôs. Mais uma vez escrevi meu depoimento sobre o assunto no Orkut e fui AMEAÇADA pelo Hisham em meu e-mail pessoal, e depois todo mundo que se meteu no rolo foi lá no Orkut e diplomaticamente apagou suas mensagens. Decidi manter porque, novamente, estava defendendo minha verdade.

Veja que em ambos os casos, houve uma situação que causou a resposta! Defender sua verdade não quer dizer atacar ninguém.

Muitas vezes escrevemos um monte de coisas na internet no ímpeto de que estamos “cheias de razão”, mas, na realidade, essa razão é muuuuito relativa. Nas últimas discussões da internet (fiquei sabendo de todas, mas me falta ânimo, me faltam palavras, me falta apetite para comentar), em nenhum dos casos vi razão em quem se considerava cheia dela.

Sejamos leves meninas. Será que TUDO o que acontece entre a gente, todas as insatisfações, todos os nossos sentimentos em relação à pessoas, será que tudo isso merece espaço na mídia? Será que um e-mail "private", um scrap "private", um tweet não resolve?

A discrição é a mãe da virtude.
S. Bento

Pronto falei!

Beijos a todas

4 comentários:

  1. Ai Verinha... taí uma coisa que sempre me aborrece nesse meio de dança do ventre: a pequenez das pessoas. Já me envolvi em grandes e pequenos babados. Alguns, tive a condição emocional de tratar, outros, chutei pra escanteio. Hoje meu tempo é curto e não quero perdê-lo com essas coisas, ainda que vez ou outra acabe me envolvendo por motivos impulsivos e irracionais. Mas não tô mais a fim. Cansei. No nosso meio, qualquer crítica (mesmo quando feita cuidadosamente), vira um estardalhaço. Ô povinho chato esse, viu? Enjoada disso tudo...

    ResponderExcluir
  2. maturidade. é isso, chegou o seu momento, parabéns. ja fui taxada de 'em cima do muro', de puxa saco, de submissa. já vi posts sobre mim, ja recebi históricos de msn sobre mim (é!) e aprendi que o melhor mesmo é manter o silêncio e trabalhar. e: tem sempre dois lados,viu?! as vezes publicam justamente pra angariar torcida e sentir-se 'a dona da verdade'. mas o tempo sempre mostra... acho que quando a gente simplesmente ignora, a coisa amorna e depois, desaparece. é só não alimentar os trolls. eu não alimento. parabéns pelo post, assino embaixo.

    ResponderExcluir
  3. Amar
    Eu tive um bafo em 2009 por conta de uma opinião que eu coloquei em um fórum famoso de DV que me rendeu desconforto agora no fim de 2010. E depois dessa (o mundo de DV é minúsculo) eu decidi medir minhas palavras no meu blog e multiply, assim como as opiniões nos blogs e fóruns da vida (me contenho mesmo). Não vale a pena. Não cabe o ego de todos na internet.

    ResponderExcluir
  4. Oi Hanna!!!

    Eu não tenho essa papa na língua, não escondo minha opinião, mas dificilmente confronto o dono da opinião, procuro sempre escrever aqui que é meu espaço.

    Essa situação em específico que gerou este post foi de uma professora que havia sido "ajudada" no passado, e na época do post estava com a mão cheia de pedras tacando em quem ajudou. E eu acho isso uó. Porque internet é meio que uma torcida organizada - confrontar aqui é fácil. Quero ver a pessoa falar "na cara", né verdade.

    Enfim...

    Tô gostando pra caramba de sua participação aqui no blog viu?

    Valeu mesmo!

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...