28 abril 2010

3

Promoção especial de Adelita Chohfi para o Amar el Binnaz!

Olá gurias!!!

A Adelita Chohfi (fófis velocidade 5) resolveu dar um super presente para 6 primeiras leitoras do Amar el Binnaz que fizerem o ensaio fotográfico lá no estúdio com ela - promoção válida somente para o mês de maio:

Quem fizer o mini-book de 12 fotos receberá, ao invés do mini-book a Foto Revista, de 20X30 com 12 páginas,

Quem fizer o book simples ou completo receberá, ao invés do foto-livreto 10X15, o Foto-Livro Clássico, 20X30 capa dura com 20 páginas.

FALA SÉRIOOOOOOOOOOOOO!!! 

Meninas é uma ultra oportunidade! Fotos profissionais não são só um incremento na sua apresentação do seu trabalho de bailarina, mas também um registro eterno. Vale MUITO a pena o investimento.

Pra motivar, vão aqui algumas fotos MARAVILHOSAS da Adelita:




                                                                Ahá, porque se ela conseguiu comigo, qualquer outro é fichinha!!!



Não percam essa super oportunidade! Somente as 6 primeiras habibas que fizerem o ensaio com a Adelita é que receberão o presente!!!

Beijins

P.S. Hoje ainda tem internet... Inshallah! (é assim que escreve?)

27 abril 2010

3

Férias forçadas e mudança de endereço!!

Hello gurias!!

Este final de semana irei mudar de casa. Atualmente moro no bairro de Quitaúna em Osasco city, e irei me mudar para um bairro mais próximo do meu trabalho. Próximo, assim, do outro lado da rua, MESMO. YAY!

Pra mim vai ser uma mudança que trará benefícios significativos: vou me livrar do trânsito, poderei ficar mais horas no trabalho (é gurias, é tempo de plantar na área profissional...), estarei bem mais perto da escola da Fatima Rellva, ou seja, poderei voltar à sala de aula, o que eu estava planejando fazer há muuuito tempo, enfim. Muitas coisas boas!!

A coisa ruim é que eu terei de me ausentar do blog por uns dias. Ontem solicitei a transferência da linha telefônica, acredito que hoje é o último dia de internet disponível por aqui.

Eu voltarei ao trabalho na terça feira, então poderei dar um oizim até que minha internet seja restabelecida, mas não poderei postar fotos nem vídeos, o que, convenhamos, SUCKS! Mas espero que seja por um tempim bem curtim!

Quero agradecer muito a todas as habibas que lêem o Amar el Binnaz, que comentam, que estão sempre por aqui... Vocês realmente fazem minha vida muito mais colorida, tenham certeza.

Besitos!!!

26 abril 2010

8

Saudades do Orkut: Dança Ventre com Personalidade


Ontem passei horas revisitando os meus quebra paus preferidos no Orkut: os tópicos sobre pré-seleção que estão na comunidade "Dança Ventre com Personalidade".

Durante algum tempo as cabeças pensantes (eu inclusive) que postaram naquele tópico foram rotuladas como as "Barraqueiras da DV" no Orkut. Ahhhahhahha, adouro. Havia as figurinhas impagáveis como Neucimar, Juli, que defendiam a casa de chá com unhas e dentes, e que faziam tudo ficar mais divertido.

O texto que vou postar abaixo, é da Libéria Al Khadir, quando de sua não aprovação pela banca da Khan el Khalili. Foi um texto EXTREMAMENTE polêmico, que foi recheado de comentários.  Muitos acharam um texto carregado de despeito, mas eu achei um texto bacana, da "ficha que caiu" para alguém que, embora achasse importante ter o selo da casa de chá, ao vê-lo negado para si simplesmente decidiu seguir em frente:

*******
"Certificado: Fora do Padrão Khan el Khalili"

Queridas, acabo de receber o "Certificado: Fora do Padrão Khan el Khalili".

Estou honrada com o título e quero compartilhar com todas vocês e principalmente com a fabulosa Roberta Salgueiro tão inspiradora de reflexões que me incentivou profundamente a prestar a seleção.

Não posso deixar de agradecer à Bailarina Multimídia Shaide Halim por ter influenciado minha dança com seus movimentos "fusion" no curto percurso que pude estar com a Cia Halim.

Agradeço a todas as minhas mestras, mas principalmente devo agradecer à Jorge e Lulu Sabongi, sem os quais eu jamais alcançaria o meu intento.

Declaro que continuarei dançando espontaneamente de improviso, ou seja sem coreografias, caras e bocas simuladas, nem exú baixando.

Vou descer sim da meia ponta alta quando quiser. Vou abusar dos movimentos de mãos e braços tão típicos das danças orientais e euroasiáticas, pois é esse o meu estilo, incompreenssível a alguns olhos.

Vou continuar dançando com a minha alma, mesmo depois de ter sofrido um acidente, comprometido 2 vértebras da minha coluna e ter que fazer fisioterapia, acupuntura, hidroterapia e "tudo-terapia" para voltar a dançar
Pois é amigas. A dança está cada dia mais me inspirando e me curando. Já venci cirurgia de joelho, já venci cirurgia de abdômen e agora vou vencer a cirurgia de coluna.

E vou continuar assim, dançando, dançando, girando como um dervixe.
Rumi seja Louvado!!! Allah!

Ora, amando flutuar em cada nota, em cada címbalo, ora percurtindo como um grande tambor.

Manterei meus olhos curiosos e atentos. Estarei aprendendo de tudo e misturando tudo aquilo que eu sentir que devo, pois é esta a minha dança.

E esta dança é a minha cura, é a minha alma, é a minha vida.

Libéria Al Khadir
08/11/2006
*************************************

Tenho muita saudade da época em que essa comunidade era movimentada com questões pertinentes, como a própria pré-seleção, "racismo velado" na dança do ventre, preços de aulas, bailarinas "embromations", enfim, tanta coisa bacana. Mas o que aconteceu foi que o povo ficou desgostoso de tomar pedrada e resolveu levantar acampamento. Não é pra menos.

O endereço da comunidade é este:

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=6873166

Vamos levantar essa bandeira?

Beijos

25 abril 2010

0

Mais de Joelle Mardinian



Olá habibas...

Há quem pense que maquiagem se aprende por osmose. Ou então que a habilidade para maquiar vem junto com o aprendizado dos passos de dança do ventre... Enfim. O fato é que para maquiar bem, tem que praticar nenê. Pagar o mico de ficar na frente do espelho, fazer uma maquiagem belíssima (or not), e depois tirar tudo com lencinho umedecido e demaquilante, começar de novo, e de novo, e de novo! E acreditem, eu levo isso tão a sério que já atendi a porta da frente de casa com um olho maquiado em verde e roxo, e o outro com um smokey eye azul escuro... E o vizinho fez o maior esforço para fazer cara de "isso é a coisa mais normal do mundo..."


Minha primeira descoberta da maquiadora Joelle Mardinian eu relatei nesse post aqui, e nunca mais deixei de estudá-la.

Os vídeos que vou postar a seguir são os envios mais recentes ao youtube - mesmo assim, a maioria tem mais de um ano de envio. As maquiagens são mais leves e mais coloridas, sem tanto preto e marronzão escurão - com mais cores - verde, rosa, dourado...

O patrocínio da YSL ao programa da Joelle deve ter terminado, então vemos alguns produtos mais diferentes, muito MAC - sombras e pincéis - e quem tem um olhinho mais clínico para produtos de maquiagem vai notar as outras marcas.

Uma coisa que noto no trabalho da Joelle é que ela espalha os produtos no rosto "sem miséria" - muito produto, mas muito bem esfumado depois. Não é essa nossa cultura AT ALL, nós somos praticamente o Tio Patinhas na aplicação de base, corretivo e whatever, mas essa proposta árabe de cobertura 500% é muito útil, principalmente para nós bailarinas que nem sempre estamos nos ambientes mais claros, e nosso rosto precisa aparecer.

Vamos aos vídeos:









23 abril 2010

1

Musicalidade: Ya msafer wahdak


Nossa próxima música para estudo será Ya msafer wahdak, de Mohamed Abdel Wahab.

Essa música foi a primeira música que pude coreografar em parceria com minha primeira professora, que foi a Alê, e a dançamos na Mostra Cultural em 2005. A experiência foi muito bacana, fizemos um trabalho com a introdução com véus e uma finalização bem impetuosa. Mas a verdade verdadeira é que essa música virou "o hino" para a execução de peças Andaluz - durante um bom tempo toda a apresentação Andaluz a que eu tive acesso foi executada com essa música.

Ouçam essa versão tocada com castanholas e vejam se não é uma viagem à Espanha:

http://www.emusic.com/album/Mohamed-Abdelwahab-The-Passion-Composer-Best-Collection-MP3-Download/11868827.html

Pensando na leitura musical para iniciantes, a versão de Ya msafer wahdak que está no primeiro CD "Bellydance Superstars" - e que foi dançada no DVD pela Tamallyn Dalal  - pelas flutuações e marcações que possui, desperta na aluna o senso de movimentação no palco, e dá a possibilidade de associação dos movimentos às trocas melódicas e ritmicas. É uma música que é difícil (nessa versão indicada - existem versões dificílimas, como a executada pelas bailarinas do Mahmoud Reda, por exemplo), mas ao mesmo tempo, é fácil de ser coreografada.

Em primeiro lugar vamos falar da letra. A tradução literal de "Ya msafer wahdak" é "Viajante solitário". É uma música que trata, principalmente, de saudade. Sabe aquela dorzinha de querer ter quem se ama por perto, mas não é possível? Exatamente isso. Portanto, é uma música que exige uma interpretação mais introspectiva (o que não quer dizer cara de dor de barriga viu habibas!!!). 

Vamos à tradução:

Oh viajante solitário
Oh viajante solitário
Está passando por mim
Irá você viajar para longe de mim?
Irá você viajar para longe de mim e sua ausência me assombrar...

Ele disse “adeus” simplesmente dizendo “até logo...”
E eu estou farta de amor para lhe oferecer

As lágrimas de meus olhos estão dizendo
“Oh viajante solitário
Está passando por mim...
Irá você viajar para longe de mim e sua ausência me assombrar...”

Vídeos:

Andaluz - por Sasha Holtz (lindona, adorei o mantón)



Yasmin - Bailarina russa numa belíssima interpretação



A ultra mega master blaster Soraia Zaied



Um beijo a todas e tenham um ótimo final de semana

22 abril 2010

6

Super Noites no Harém IV

 Fonte: www.khanelkhalili.com.br

Olá meninas!

O final de semana de 09 a 11/04/2010 em Sampa foi realmente agitado. Um dos motivos é o Mercado Persa, e o outro motivo, sem dúvida nenhuma, é o ambicioso espetáculo "Super Noites do Harém", produzido e dirigido pelo Sr. Jorge Sabongi, o segundo evento sem a "batuta" de Lulu Sabongi.

Na parte de direção artística de eventos, Lulu é uma conhecida "dama de ferro", extremamente exigente com figurinos e com a qualidade coreográfica, e como o Jorge conviveu por muitos anos com esse padrão, é óbvio que ele tem mantido os eventos nessa linha.

Falando do evento em si (que não fui, e não pude ainda comprar os DVDs porque meu e-mail é elegantemente bloqueado na lista da casa de chá, mas assisti o máximo possível pelo youtube), senti falta da Jade, e, com certeza, senti falta de um solo da Kahina. Mas a Kahina foi a grande estrela da noite, fato que não é surpresa: Kahina vem crescendo cada vez mais em carisma e qualidade técnica, e não vai demorar muito para que ela seja declarada a maior estrela da dança no Brasil.

Essa peça de "bellytango" com o Tárik (lindo, tesão, bonito e gostosão - e que meu marido não fique sabendo) é um belíssimo exemplo do tamanho talento desses dois artistas:



Outra coisa que está virando tradição nas Super Noites do Harém, é uma coreografia de folclore "moderno or not" de Nagla Yacoub. É preciso exaltar o talento de Nagla Yacoub como coreógrafa. Na minha opinião, seu trabalho é diferenciado porque ela sabe ressaltar o mais tradicional - o ritmo, as marcações, mas ao mesmo tempo, ela quer trazer uma proposta moderna porque, como ela mesma diz, o tipo de dança e a leitura rítmica podem ser limitados, mas com criatividade, uma peça tradicional pode virar uma belíssima peça moderna.




Outro destaque pra mim dentre os vídeos que assisti foi o solo da Aziza. Este solo tem VIDA everyone! A dança da Aziza, no geral, é sempre delicadinha e pequenininha, mas nesse solo ela coloca uma energia bonita de se ver. O figurino também é um luxo. Minha única reserva: Aziza sempre foi uma coisa linda, boneca mesmo e perfeita. Desde que ela veio morar em Sampa eu consigo ver suas costelas claramente. Com o tanto de "House" e "Bones" que já assisti na minha vida, sou capaz até de numerá-las. Isso, claro, não influencia na dança dela, mas: AZIZA, COME UM CHOCOLATE, FOR CHRIST SAKES!




Com certeza não poderia faltar uma coreografia moderna com aquela musiquinha "do mais alto escalão da piriguetagem árabe" (alow Lory!!!). Esse ano teve direito até ao figurino "com um jeitão Dina de ser", e sandalinhas (ou enfeites de perna, não entendi direito) no estilo gladiadora - olha a Sasha já fazendo moda! A coreografia é leve, claro, mas a qualidade técnica é altíssima.  E, claro, não poderia faltar a Juli participando, aliás, ela esteve em todas as coreos "modernas-piriguete" das Super Noites do Harém.




E porque sou tiete mesmo, a coreografia com véus das ultra-fofis: Fê Baccaro (pago um paaaaaaaaaaau), e Ana Claudia. Adorei a música e a dinâmica da coreografia, as ondinhas, a volta com o véu no final, enfim. Muito lindo.



Pra finalizar um "Saiidi", ou melhor SAIIDÃO, coreografado pela Munina Magharib, que na minha opinião é a maior autoridade em Saiidi no Brasil, pesado e lindo de se assistir. Palco cheio, do jeito que eu gosto.




Só pra constar: a noite foi da Ana Cláudia que dançou 459945235684 coreografias das Super Noites né? Carái! Alô seu Sabongi: PÕE A ANA CLAUDIA PRA FAZER UM SOLO NA PRÓXIMA, PÔ!!!!

Eu queria também ter visto a coreografia de dança havaiana, mas não achei em lugar nenhum. Quem tiver, pode me mandar, please?

E vcs, o que acharam?

Beijim

20 abril 2010

6

Encantamento


Em uma das minhas últimas andanças pela 25 de março, em meio às minhas procuras de não sei mais o que, que com certeza vai complementar meu já enorme arsenal de acessórios, pude observar algumas meninas escolhendo um traje em uma das lojas de fantasias.

E pensando um pouco mais naquela cena, entendi o porquê de existir tanta energia de fontes nem tão boas assim em nosso meio.

Aquelas meninas, que a mais velha não deveria ter mais de 18 anos, estavam completamente extasiadas na escolha. Uma pegava a roupa preta, colocava por cima da roupa, e exclamava "ah, vai ficar linda com aquele brinco...", a outra olhava o bustiê de borboleta e dizia, "ah, mas essa aqui é bem mais composta, vou ficar com menos vergonha", e a terceira não hesitou em dizer "que ficar com vergonha o que!! Estamos dançando!"

Podem dizer o que quiser, que roupa da 25 de março é isso, ou é aquilo, mas aquele era um momento genuíno habibas. Aquele sentimento que aquelas meninas compartilhavam na compra de seu primeiro figurino de dança do ventre, aquela chama pura da paixão que sentimos ao ter nosso primeiro contato com a dança.

É claro que, se as meninas que estavam alí forem participar de algum evento da ACM Osasco, sua primeira experiência em dança pode acabar com uma avaliação "Fantasias da 25 de março não são figurinos apropriados", porque à medida que cresce nosso conhecimento de dança e figurinos, nos sentimos no direito de menosprezar o figurino alheio, sem nem saber que condições teve aquela pessoa de adquirí-lo.

 Pode ser que aquelas meninas fossem dançar em algum evento. Pode ser que estavam ali simplesmente realizando seu desejo de se vestir de odalisca. Pode ser que depois da primeira apresentação elas nunca mais pisem num palco, pode ser, pode ser, pode ser... Mas a alegria daquele momento habibas, é o sentimento que deveria guiar nossos passos na dança. É aquela alegria que nos faz feliz em nos tornarmos amantes e multiplicadoras da arte.

E é a alegria genuína que devemos distribuir às nossas queridas colegas e parceiras na dança!

Beijos a todas

19 abril 2010

8

Bellydance Hip Hop

Olá meninas!!!

Ainda bem que terminou a ressaca do Mercado Persa! Vamo que vamo...

Existem fusões e fusões. Eu, particularmente falando, até gosto de tribal, mas não consigo me adaptar com o semblante "cara de parede" impetrado por Rachel Brice e suas pupilas. Pra mim, cara de parede é algo parecido com um boneco dançante, sem nenhuma pitadinha de arte. Mas outras fusões, como tango, por exemplo, ou mazij, que exigem mais da expressão, me encantam e acho muito válido sim.

A primeira vez que vi a performance de Hip Hop Bellydance, confesso a vocês que minha primeira impressão foi "PQP, inventaram mais essa para a dança do ventre..." À medida que eu ia assistindo o vídeo mais vezes, fui gostando cada vez mais. É claro que não me aventuro: acho que para executar um bom hip hop bellydance o corpitcho tem que estar o mais em ordem possível. Mas acredito que é uma fusão que pode trazer muita coisa bacana para a dança do ventre.

Sobre a bailarina: Ebony é Bellydance Superstar, e desenvolve tanto Raks Sharki, quanto Tribal Fusion e sua própria interpretação de Hip Hop Bellydance.





16 abril 2010

5

Minha Maquiagem para o Mercado Persa



Olá habibas!!

Vou postar hoje pra vocês o tutorial da maquiagem que fiz para o Mercado Persa.



No evento eu demorei uma hora e meia pra fazer a maquiagem porque a iluminação estava de precária a muito horrível impossível de enxergar, mas com boa iluminação o processo demora mais ou menos de 20 a 30 minutos.

Muita gente me perguntou da paleta de 120 cores lá no evento. A paleta está disponível em diversos blogs e sites por aí, e também pelo mercado livre. Eu não vou indicar nenhum blog nem site,  porque minha paleta eu comprei pelo ebay, só vou indicar: não compre pelo Pink Gloss porque eles cobram fantásticos R$ 130 pela paleta mais o frete, e eu acho o justo a pagar por esta paleta NO MÁXIMO R$ 80,00. Para vcs terem uma idéia, nesse dólar baixo, minha paleta saiu por R$ 20,00 comprando pelo ebay, então, como não sou adepta do lucro absurdo, comprem de quem cobra um preço justo!

Como dancei no palco B do Mercado Persa, optei por uma maquiagem bem mais dramática, porque lá é MUITO escuro, e uma maquiagem mais light iria apagar meu rosto para o público.


Coloquei minha foto com a Haifa no MP para vcs visualizarem o que estou falando: tudo muuuuito escuro "apaga" o rosto da gente!

Espero que vcs gostem!! Vamos ao trabalho:




Beijos a todas!

15 abril 2010

12

Talento em figurinos + Anúncio de Venda


 Olá habibas...

Continuando a "Semana do saco cheio" do Mercado Persa 2010, vamos falar de figurinos.

Em primeiro lugar, eu queria falar da feirinha. O povo tá perdendo a noção or what? Cara, o figurino mais chinfrim do stand da Simone Galassi custava R$ 450!!! 450 paus cara! Isso sem falar nos outros, tá todo mundo canetado: Simone Galassi, Regiane Mesquita, Balily, Griffe Marilin, tudo muito caro!!!  Vi vários stands com figurinos de guipir bordado com strass, muito luxuosos e talz, mas o povo tem coragem de olhar pra sua cara e dizer: R$1.200. 
Se você precisa da dança para pagar as contas do mês, visualize aí quantas aulas vc vai ter que dar para usar um figurino de R$ 1.200... Eu hein! Só para se ter uma idéia, as roupas egípcias estavam mais baratas do que as roupas dos grandes ateliers de SP!!!

Antes que me apedrejem: não estou dizendo que não valorizo o trabalho que dá confeccionar uma roupa, eu mesma nunca consegui terminar uma, mas estou afirmando que estamos pagando muito mais pelos nomes, do que pelo corte e pelo material, assim como nos shoppings. 
Essa era a parte "protesto" do post...

O que me impressionou positivamente foram os figurinos confeccionados pelo Ateliê Ju Marconato, e, principalmente, a quantidade de bailarinas vestidas com eles. São figurinos, em sua maioria, tradicionais - bustiê e cinturão de franja, que impressionam pelo bom gosto e pelo acabamento perfeito. Eu estava me maquiando no camarim e tive a oportunidade de ficar observando as alunas da Ju Marconato se aprontarem para sua apresentação, então pude ver os figurinos mais de perto. São realmente fantásticos.

Vou postar algumas fotos (sem autorização, sorry Ju, sou tímida), que peguei do orkut do Atelier Ju Marconato para vocês visualizarem. Mas NENHUMA foto, nenhuma mesmo, faz justiça à beleza dos figurinos ao vivo!

Fonte: Orkut - Atelier Ju Marconato

Fonte: Orkut - Atelier Ju Marconato



Fonte: Orkut - Atelier Ju Marconato



Fonte: Orkut - Atelier Ju Marconato



O Ateliê Ju Marconato tem um site super bacana onde você pode montar a roupa de sua preferência, têm diversos desenhos de cortes, saias, cinturões, mangas, você monta, envia para a acessoria da Ju Marconato e eles lhe enviam o orçamento. Pelo que vi das formas de pagamento, há possibilidade de parcelar em até 12x no cartão.

Não deixe de dar uma olhadinha: www.atelier.jumarconato.com.br

*********** ANÚNCIO DE VENDA *************************

A Carol Murad, querida leitora aqui do blog, está vendendo um figurino da Ju Marconato lindíssimo, confira:






Gurias, eu fico imaginando o LUXO, PODER E SEDUÇÃO que deve ser essa saia prata ao vivo. Xonei.

O valor é R$ 400,00, e quem tiver interesse, entra em contato com a Carol no e-mail:  a.cmurad@yahoo.com.br

Beijos a todas

14 abril 2010

6

Pelo que se paga em um workshop? Pelo nome ou pelo conteúdo?

Olá habibas...

Na minha pesquisa pelos vídeos do Mercado Persa me deparei com o vídeo da apresentação da Tamallyn Dallal, e passei a me perguntar: pelo que se paga em um workshop de uma bailarina internacional? Pelo nome ou pelo conteúdo?

É certo que depois de um workshop desse nível - principalmente depois dos eventos da Luxor, ou de algum outro nome estrelado, egípcio ou não - CHOVE, mas CHOVE MESMO de atualizações de fotos no Orkut, de alguém com o determinado mestre ou mestra. O currículo é automaticamente atualizado: "Já fez workshops com a fulana do Egito, a ciclana dos Estados Unidos, a beltrana da Argentina...", e isso invoca um ar de seriedade e respeito. Mas você já parou para avaliar o que aquela experiência lhe ofereceu?

No primeiro workshop ministrado pela Randa no Brasil, ainda no finado Harém Itu da Lulu Sabongi, ouvi 100% de aprovação. Sua obcessão pelos deslocamentos, braços muitíssimo alongados, pelo tremido perfeito, tudo isso encantou quem pagou CARÍSSIMO naquela época, e certamente deve ter dado aquela gostosa sensação de valeu a pena. Nas demais aparições dela por aqui já não se coleta 100% de aprovação, mas quando ela sobe no palco, é previsível que ela ainda encha muuuuuitas salas de aula por aqui.  (God save our precious queen, long live our noble queen, God save the Queen).


Putz, a roupa marcou a (falta de) calcinha meeeu!!!

Isto porque a sua dança apresenta um DIFERENCIAL para nós, que pode ser o "ziriguidum egípcio", pode ser o tremido de arrasar, pode ser a leitura musical perfeita, enfim... muitas variáveis. A mesma coisa eu diria, por exemplo, da Saida e da Aziza (canadense). Pode ser que você ache o workshop lixo, mas quando as bailarinas sobem ao palco e executam o que sabem fazer com perfeição, é possível que você pense "mas ela pode estar num dia ruim, ano que vem ela pode estar melhor, vou tentar de novo... "

Eu sou fã da Tamallyn Dallal, há algum tempo já, porque sou obcecada por leveza e delicadeza, e certamente ela é uma bailarina que tem essa marca forte em sua dança. Mas observando a dança dela no Mercado Persa, pensei: a não ser que ela tenha mostrado algo de ultra-mega extraordinário absurdo em sala de aula, o que, sinceramente, não acredito, tudo o que ela mostra no palco está disponível no DVD "Bellydance secrets with passion - Tamallyn Dallal" - (aliás, que titulozinho clichê hein, good Lord!!). Se você analisar friamente o vídeo da apresentação e esquecesse o "peso da faixa", você pagaria caro para fazer aula com ela?



Meu conselho para você, habiba, é: VALORIZE SEU DINHEIRO. Mais importante do que a fotim no Orkut ao lado da bailarina "international star", é a formação, o conteúdo que ela vai agregar na sua vida e na sua dança. E as bailarinas brasileiras tem isso de MOOOONTE para te oferecer, por um preço menor, com certeza!!

Um beijo

12 abril 2010

7

O Juri


Lembram daquele filme com o Gene Hackmann, que uma viúva processava uma empresa, e a empresa contratava um advogado especialista em constituir um juri que garantisse de antemão a vitória no processo?

Assistindo ontem à competição da categoria profissional no Mercado Persa, fiquei pensando nesse filme.

A banca julgadora da categoria profissional era qualquer coisa "du carái" até mesmo para a mais confiante das bailarinas:

Lulu Sabongi (gira meu bem, senão... caneta)
Aysha Almée (Escola Municipal de Bailados? Não faz um arabesque bom não pra ver...)
Renata Lobo (Postura é TU-DO nesta vida)
Carlla Sillveira (Porque o quadril tem seu valor!!!)
Joelma Brasil (A mais "real" das bailarinas)
Michelli Nahid (Formação clássica também - melhor caprichar ainda mais nos giros e arabesques)
(se havia mais alguém não lembro, mas os nomes acima prometem nitroglicerina para desmontar qualquer ego!!)

Porém, pensando no perfil da banca julgadora, composta com 3 bailarinas com formação clássica mais a Lulu que tem uma QUEDONA para o lado do clássico (aliás, a apresentação do grupo dela foi qualquer coisa Mahmoud Reda MA-RA-VI-LHO-SA de Deus...), não havia chance nenhuma de uma bailarina que não tivesse inclinação para o clássico ganhar o concurso.

Não estou questionando o título da Carol Koga, de forma nenhuma, ela dançou muito bem e teve seus méritos em ganhar (mesmo tendo ignorado completamente o alaúde na fase do Taksim - se eu fosse jurada, canetava seriamente). Mas sinceramente? Na primeira etapa eu já presumia que ela iria ganhar. E isso me aperta o coração pensando nas meninas que ralaram "pá carai", estudaram, se esforçaram, mas não têm o estilo mais comedido, de movimentos menores e mais arabesques e poses. E bem "bonequinha" mesmo.

Eu queria, sinceramente, que a Hayffa ganhasse. Não só pelos predicados dela que todo mundo já conhece: é uma excelente bailarina, professora com grande carisma, batalhadora, tá em tudo quanto é evento - grande ou pequeno - levando suas alunas para dançar, enfim... Estava torcendo pra ela pelo que ela representa: uma bailarina que tá a não sei quantos anos aí no mercado, estuda pra caramba, forma bailarinas também, e depois de muitos anos de estrada decide ir para o Concurso Nacional, ser exposta ao excrutínio dos jurados, com o objetivo de engrandecer uma carreira que já é respeitável. Putz, iria ser o máximo dos máximos.

Aliás, nos últimos anos (desde 2005), tenho visto o concurso profissional do MP se transformar numa vitrine de menininhas bonitinhas - com exceção de 2006 com a Luanna Mello e 2008 com a Jannah el Havanery, todas as vitoriosas tem o perfil de bailarina bonequinha.

Fica a lição: é preciso estudar "estilos" e selecioná-los quando visualizar a banca julgadora. Se o perfil da jurada é de uma dança mais "solta" e menos influenciada pelo ballet clássico, "pule", "grite", enfim, uma dança mais alegre. Se o perfil da jurada é mais para o clássico - capriche nos braços, giros, arabesques, enfim... E tenha também sua chance de levantar "o caneco".

Beijos a todas!!

P.S. - Quem foi que disse que no Taksim a cara de dor é obrigatória gente? Fiz questão de pegar umas egípcias antigas (vários da Najwa Fouad, pra ser mais específica), e nenhuma faz cara de dor no Taksim, pelo contrário, muitos sorrisos. Acho que é coisa de Laurinha mesmo...

11 abril 2010

11

Rapidjeeeenhas do MP 2010!

Olá habibas!!

A-C-A-B-E-I de chegar do MP e já vim postar rapidim pra vocês as primeiras impressões, depois eu escrevo um post mais longo e detalhado.

AMEI o esquema do concurso profissional deste ano. Ainda não sei quem ganhou, mas acho que está entre a Haifa e a Carolina Koga, ou a Carla. Se não for uma dessas 3 meu bem, humm...

Eu fiquei sabendo que o grupo da Lulu ia se apresentar depois do meu na coxia. Resultado? FU-DEU colega, senti a pressão:

"Caraca, a Lulu vai dançar depois, vai todo mundo me achar uma merda e ainda vem a Lulu pra ratificar que eu sou uma merda mesmo..."

Eu, que criei a coreografia, que ensaiei 156896466877 vezes, que ensinei, que limpei, errei TO-DOS os giros, tá? Parecia que eu estava em outro mundo. Whatever...

Quero dar um beijo grande e cheio de energias positivas pras habibas que encontrei lá: Deborah Macedo (traveca toda vida), Jamys, Tati Lamas, Rhazi, Haifa, Dahab (adorei, que mulher alto astral coleeegas), Samya Ju...

Senti falta de dar um abraço na Sasha! Mas Sasha, eu juro que procurei um monte de vezes perto do stand do Khaled Cury!

Momento "quando tudo vale a pena" do dia: CAMILA MARTINI me pára e diz que ama meu blog. Pense num ser humano que encheu o peito de orgulho!!!

Vou baixar as fotos com calma, pensar direitinho em tudo o que vi e ouvi, e conto tudo com detalhes!!

Beijão e tenham uma ótima semana!!!

08 abril 2010

2

Para dar tudo certo na maquiagem do Mercado Persa...

Olá habibas!!!

Domingão estarei lá no Mercado Persa para abraçá-las e beijá-las todas!!! EEEEEEEEEEEEEEEEE...

Festival, seja ele pequeno, grande, médio, é uma grande oportunidade para a lei de Murphy se manifestar em sua mais pura essência quando vamos dançar. Para minimizar os efeitos da lei de Murphy na maquiagem da bailarina, eis aqui algumas diquinhas:



** Desde que lançaram o tal "Gel iluminador" do Avon, eu nunca mais vi uma bailarina que não brilhasse no rosa azulado. ALOWWWWWW PEOPLE! Iluminador é pra usar um pouquinho, e não para modificar a cor do seu rosto com ele.

fonte: www.zaroio.com.br

** Nunca, mas nunca mesmo, deixe pra fazer uma maquiagem que você nunca usou antes no dia do festival. Caso algo dê errado, nem sempre você tem uma pia à disposição para lavar o rosto para começar tudo de novo. Se você quer tentar uma nova combinação de cores que você acha que vai ficar LOOOOSHO com seu novo figurino, faça como no dia da noiva: use o dia anterior como "dia da prova da maquiagem". Tenho certeza de que você não vai se arrepender!!!

Na foto acima até que a moça seguiu nosso conselho, pena que ela não tirou todo o excesso do pó!!


** A sombra preta se casou para sempre com o pó translúcido solto, mas tem gente que ainda ignora esse fato. Resultado: sombra caindo no rosto e aspecto de quem passou carbono escolar no rosto. Tribalistas de mio cuore: Se você vai usar uma sombra preta, o ideal é que use uma sombra cremosa por baixo, para que a sombra preta fixe bem, e use também pó translúcido abaixo da linha dos cílios inferiores EM ABUNDANCIA, porque se cair algum "pretinho" no rosto, você consegue se livrar dele simplesmente passando o pincel por cima do pó.

** Seu kit básico de sobrevivência (além dos itens de maquiagem que você já está careca de saber) para uma make bacana  em festival é: creme nívea (como primer antes da base), toalhinhas umedecidas (mais espessas que lenços, tem na farmácia também - ótimo pra quem não gosta de andar maquiada no metrô), COTONETE, fixador de maquiagem, esponjinhas e um espelho de aumento. Certifique-se de estar levando tudo isso.


** Organize seus itens de maquiagem com calma, de preferência com antecedência, para que você possa se certificar de que não esqueceu nada.

Para inspirar uns looks M-A-R-A: com vocês - Fabulous Vivian, do  http://www.fabulousbyvivian.com/





05 abril 2010

11

Figurinos Inovadores

Olá habibas...

Já dizia Tara Conner, Miss USA 2006 que vergonhosamente foi fazer um rehab para não perder a coroa de miss, que para as pessoas saberem quem você é, você precisa fazer algo marcante (na realidade ela disse que é preciso fazer algo que elas não fariam, mas não é esse o tema do post, ehehe...). Trazendo isso pro mundo da dança, para se fazer notar você pode fazer uma forcinha "a mais" inovando no figurino.

Eu acredito piamente que ventos de mudanças sempre trazem coisas boas, e, embora eu seja uma adepta dos vestidos - porque escondem minha pança, e porque são elegantes, eu ADOURO quando alguém ousa um pouco mais nos figurinos. Eu disse OUSAR e não somente ENCURTAR. Existe uma graaaaande diferença.

Vamos aos figurinos que, na minha opinião, deixaram sua marca:

1. Aysha e sua "best-seller" roupa de aranha:

Fonte: www.khanelkhalili.com.br

Me lembro que láaaaa no longínquo ano de 2004, no finado Fórum KK essa roupa deu o que falar, foi bafão pra mais de metro. Eu acho a Aysha uma das bailarinas mais elegantes do cenário brasileiro, e até para um pano de chão ela vai dar todo um gramú. Com a roupa de aranha não foi diferente. Ao contrário do que pode parecer - que a roupa fica vulgar - a aura de rainha da Aysha fez a roupa se tornar simplesmente um detalhe.


2. Kahina e sua intimidade com o crochet:

Fonte: www.khanelkhalili.com.br

Eu, pessoalmente. não curto muito esse vestido da Kahina não, porque o acho muito "pesado", mas não posso deixar de aplaudir a homenagem que essa bailarina presta a esta arte manual tão popular no Brasil. Kahina tem váaaarias roupas feitas com crochet, e não tem medo de dançar nos points de dança, ou mesmo em grandes eventos com elas - e, claro, isso levou a várias amantes de dança oriental, que também têm habilidades manuais a desenvolver seus figurinos de crochet.


3. Kahina e suas calças de crochet:



Mais uma moda que, por enquanto, está quase que exclusiva da Kahina: as calças de crochet. Calças por baixo da saia são tudo de bom quando a bailarina quer lançar mão de arabesques altíssimos, chutes e afins - é uma liberdade. Nesta foto é um conjunto da calça com a luva, e é super versátil, pode ser usado com várias cores de roupa.

4. Mayara e os pelinhos:

Fonte: www.khanelkhalili.com.br

A primeira vez que vi essa roupa foi num vídeo da Lulu, e a Lulu usando esse figurino não achei legal não, mas com a Mayara me pareceu bem mais agradável. Para gordinhas como eu, pelinhos no quadril é quase como dizer "olha que legal, meu quadril tem o tamanho da Ìndia", mas para as magrinhas que quiserem inovar, vale o esforço!!! Eu vi, num festival Ventremania, a Álika do grupo Nut usando uma saia TODA de pelinhos. Acreditem: cenicamente fica MUITO bonito.

5. Nesrine e seu "Bollywood costume"

Fonte: www.nesrine.com.br

Pode ser até que não foi esse o objetivo, mas que essa roupa tem um graaaaaande apelo indiano, ah isso ela tem. Eu achei lindíssima, até porque sou apaixonada por roupas de um ombro só, e o estilo mignon da Nesrine deu a esse figurino um charme todo especial.  Fora que para uma sainha assim, as pernocas tem que estar "rigorosamente em dia Lombardi"!!!!


6. A gladiadora Sasha Holtz:



Atenção para essa sandália gente!!! Vê se minha vida não vai ser muito melhor se eu tiver uma sandália igual a essa!!!
Figurinos curtos não são para todo mundo, essa é a maior verdade desde que foi dito "As cartas não mentem jamais". Taí a Dina que não nos deixa mentir. Mas a Sasha, que é "Pequena Notável" soube usar a inovação a seu favor, e fez esse figurino belíssimo sem ser vulgar e com o complemento da sandália ficou esplendoroso! Parabéns pela coragem, e o conjunto ficou bacana "pá carai".

7. Golden Dina



Ah, pode falar que eu sou cafona, mas eu AMO esse figurino dourado da Dina. De verdade. Eu faria uma saia maior, com certeza, mas o bustiê e o cinturão eu faria I-G-U-A-L-Z-I-N-H-O. O fato é que para usar uma roupa dessas você tem que ter muita, mas muita personalidade, e sangue frio para "cagar e andar" pro que o povo fala, porque ele choca mesmo. Mas tenho certeza de que ninguém mais esquece.

********************

E vocês o que acham?

Beijim

04 abril 2010

3

OFF-Topic - O poder da impotência contra os grandes

Olá meninas,

Hoje o post não é sobre dança, nem sobre minhas percepções quanto ao mundo da dança do ventre. O post é sobre compras...

Calma, não é dica de uma make maravilhosa a preço acessível não, embora eu adore falar sobre esse assunto, não é este o caso!

É só um desabafo.

Desde que os pincéis Sigma Makeup foram lançados, eu quero comprá-los. E muito embora eu seja permissiva com grana (razão pela qual eu não a tenho), ainda não estava disposta a gastar os 80 dólares para comprar o kit completo. Bailarinas tem outra prioridade certo? Entre comprar os pincéis e guardar a grana pra comprar um figurino do Cristtiano Ferreira, adivinhe o que prefiro? Aháaaaaaaaaaaa...

Dentro desse período, observei a Sigma enviar os kits pra um monte de blogs de beleza, os caras fizeram concursos, sorteios, o caramba, participei de CADA UM DELES. Aliás, se me permitem um comentário, blogueira "profissa" de maquiagem nenê TEM GRANA. Todas elas. E todas ganharam FREE o que nós, reles mortais, temos que batalhar para ter. Taí uma coisa que me enerva.

Mas desde que comecei a me interessar por maquiagem, minha obsessão foi o pincel 217 da MAC, elogiado por 10 entre 10 maquiadores starlets. Bom, na loja da MAC o bichim custa mais de 100 conto, e eu me recuso. Então dia 27/02 entrei no site da Sigma, e encomendei o kit de blushes, que oferecia o pincel 217 de brinde. O kit é esse aqui:

                                 fonte: http://www.eucapricho.com/2010/03/16/testei-kit-blush-and-highlight-sigma-makeup/

Não é um bom motivo pra eu comprar o pincel? Ehehhe...

Enfim. Hoje é 04/04/04 (níver de Vovó e da minha sobrinha "eldest" Natália - beijão), e até agora NADA!
Entrei em contato com a Sigma várias vezes, e me informaram pra aguardar até metade do mês de abril para considerar o prazo de entrega excedido.

Quem compra pelo Paypal sabe que o prazo para reclamações é de 45 dias, e esperando o prazo que a Sigma me informou, eu perco os 45 dias do meu direito de reclamação. Em contrapartida, já mandei 112 e-mails para os correios perguntando o que aconteceu com minha encomenda, já fiz reclamações via telefone, tudo com número de protocolo e NADA.

Gente, alowwwwwwww, eu sou consumidor cacete! Vejo esse jogo de empurra da empresa com os Correios, e tenho eu, que paguei, que ficar cobrando minha entrega.

Infelizmente, jamais terei os pincéis Sigma, porque depois dessa experiência, eu NUNCA MAIS encomendo nada da Sigma, e nem recomendo essa empresa para ninguém.

03 abril 2010

8

Divas da Terra Brasilis: Fátima Fontes



Olá habibas...

À medida que a estudante de dança vai diversificando seu repertório de estudo, e larga um pouco tudo o que parece óbvio: bailarinas top da casa de chá, e egípcias modernas, vai encontrando verdadeiros tesouros, que são as bailarinas que mantém um estilo mais "low profile", estão quietinhas em seus espaços, mas dançam uma enormidade e estão formando bailarinas "de verdade" em suas salas de aula.

É o caso da Fátima Fontes.

Fátima me lembra aquelas bailarinas de ballet clássico, divas e inatingíveis. É assim que a vejo. Mas é o MÁXIMO da delicadeza e suavidade.

É uma coreógrafa e tanto também. Às vezes quero canetar sua expressão nas partes mais fortes e alegres da música, mas ela é imbatível quando chega o taksim. Sabe aquele olhar de "Eu sei que sou phoda, mas me veja como uma gatinha manhosa"? É esse o olhar. E eu acho o máximo!!!

A dança de Fátima é "das antigas", não tem NADA de moderno. Você acha que ela parou no tempo e no espaço? Eu simplesmente acho que ela manteve a personalidade!

Com vocês: Fátima Fontes





Essa peça de baladi foi meu objeto de estudo por muito, muito tempo.

01 abril 2010

10

Será que rola um encontrinho?

Olá meninas!!!

Há algum tempo atrás, eu, a Naznin, e a Luana Mello queríamos fazer um encontrinho de bellynets em Sampa, uma coisa divertida numa tarde de sábado, com muita espontaneidade, com um pouquinho de seriedade, falando de muita, muita dança. Não rolou.

Para aproveitar o findi do Mercado Persa, e transformá-lo em inesquecível, eu queria muito encontrar as habibas que lêem o Amar el Binnaz, compartilhar idéias, jogar lantejoula fora, enfim... Será que rola um encontrinho?

Me dêem opiniões! Quem sabe? Não é impossível não!!!!




Aguardo nos comments!!!

Beijins
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...