02 outubro 2009

8

Fusões, misturebas e afins


Olá habibas!!!

Fim de semana de novo, eu to no meio do povo, na maior curtição...

A alguns dias venho pensando em uma fusão de véus, com passinhos de dança indiana, com DV, com um figurino misto (que já existe com detalhes na minha cabeça) e uma proposta de música completamente inovadora para nosso público. Ok, nem tão inovadora assim, já que colocaram até o HINO NACIONAL no palco, e olha que isto é até CRIME, previsto no Código Penal e tudo mais...

Mas, algo me impede de ir em frente. Eu não sei, me sinto violando, ou pior, banalizando nossa dança já tão pouco valorizada.

Já vi tantas fusões, tantas propostas inovadoras que acabam por ficar “pior que o soneto”, que não vou negar que qualquer coisa dentro desse universo me APAVORA!!! Um exemplo disso foi num MP um grupo com uma música country muito famosa, com um tamanhico de saia que faz você pensar “Jesuis, onde vamos parar?”. Vi em outro evento um grupo que eu tinha CERTEZA de que a roupa foi comprada em Sex Shop, juro!!!!

Vamos pensar no conceito de fusão: fusão é pegar o que dois lados têm de melhor e uni-los, certo? Não tira a identidade de nenhum dos lados, e sim SOMA. Fusão de Dança do Ventre com o Tango: Passos de dança oriental com a dramaticidade, a postura, a música, enfim, o que o Tango tem de melhor.

A Luanna fez seu número de Bollywood com uma fusão super bacana de DV, passos de dança indiana, hip hop, jazz e até posturas de Ioga, sempre utilizando o que estas várias propostas têm de melhor!

Daí de repente a gente vê uma tentativa de fusão de DV com country, no maior evento de dança do ventre no país, com bailarinas dançando com sainhas minúsculas e poucos ou nenhum passo de dança oriental, e é fusão? Sei lá entende... Para fazer uma proposta dessas é preciso estudo, conhecimento, treino, mas ACIMA DE TUDO, é preciso bom senso!!

E vocês,o que acham?

Beijim

8 comentários:

  1. Nega-Flor, se joga e nem pensa duas vezes! É fazendo que a gente aprende. Já tô ansiosa para ler o resultado...

    ResponderExcluir
  2. Eu sou totalmente a favor da fusão, desde que ela seja feita com uma dose enorme de simancol e com o desconfiômetro ligado.

    Uma fusão bem feita não desvaloriza a DV. Muito pelo contrário, mostra que bailarinas de DV podem ser extremamente versáteis e, na minha humilde opinião, esse é o futuro da dança.

    Construa sua coreografia, filme e abuse muito do seu senso crítico para analizá-la. Se você gostar do resultado final, tem boas chances de estar certa.

    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. eu penso que quando feito com amor e som senso, tudo vale...o problema é só esse: o bom senso de uns, pde ser o apavoramento de outros..rs...to com a Luanna nessa..se joga e depois vamos ver!

    ResponderExcluir
  4. Luanna, confio no seu taco. Faz que vc arrasa!

    ResponderExcluir
  5. Vi um vídeo de tribal com indiana e DV. Ficou lindo!!!
    Posto o link para quem quiser ver no youtube, aliás com Rachel Brice sou suspeita porque AAAAMMMOOOO!!!!
    Segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=A7zF4mThatw&feature=player_embedded
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  6. Bem, sou bem nova na dança pra dar minha opinião. Mas imagino que por você ser muito exigente em tudo que faz, conseguirá realizar uma dança de qualidade.
    bjo

    ResponderExcluir
  7. Bom, eu trabalho basicamente com fusão em tempo integral, portanto, sou mais do que a favor! Mete as caras, Verinha!

    E precisando de ajuda pro indi, é só pedir!

    ResponderExcluir
  8. Concordo plenamente! Pra mim fazer qualquer coisa com fusão é um drama... muita responsabilidade... tou há quase 3 meses me degladiando com uma música e olha que vai ser uma fusãozinha com metade dos elementos da sua... mas o sofrimento existe sim... é coisa de quem quer fazer algo decente.... Afinal, quem quer fazer qualquer coisa monta nas coxas e vai! beijos

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...