25 setembro 2009

3

Administração financeira para bailarinas – Parte III – Previdência Privada




Olá meninas!

Vamos a mais um capítulo da série “Administração Financeira para Bailarinas” – pensar no futuro. Como é sabido de TODO MUNDO, a previdência social do nosso país não consegue garantir uma velhice tranqüila para ninguém. Em muitos casos, você contribui a vida inteira trabalhando duro, e vem um tal de “Fator Previdenciário” reduzir o valor da sua aposentadoria! Isso é UÓ!!! Fora as situações em que o indivíduo contribui, mas no final das contas, vai ter de viver com um salário mínimo.

No caso das bailarinas, profissionais autônomas, pagar o carnêzinho do INSS no valor mínimo (para no final da vida receber salário mínimo), significa colocar a mensalidade de praticamente 2 alunas na mão do governo. Porém, todos queremos ter uma velhice digna, com o descanso e lazer necessário após uma vida inteira de trabalho, e também queremos ter condições de pagar um convênio e desfrutar de um tratamento médico digno.

É aí que entra a previdência privada.

A previdência privada nada mais é do que um investimento a longo prazo, cujo objetivo principal é fazer a complementação do benefício da aposentadoria. Quanto mais tempo você investir, maior o valor do benefício que você terá.

Você poderá também determinar o valor que quer receber. Exemplo:

Você tem 20 anos, quer se aposentar com 55 anos e receber um benefício mensal de R$ 2.000,00:

Idade Atual: 20 anos

Idade de saída: 55 anos

Período de contribuição: 35 anos (420 meses)

Reserva projetada: R$ 766.284,00

Contribuição mensal estimada: R$ 300,00

É bastante né? Eu sei flores!!! Mas a previdência privada tem a vantagem de ser um investimento aberto, ou seja, você pode resgatar a qualquer momento – o valor do resgate entra na sua conta em 5 dias.

Vamos supor que você contribuiu por 10 anos (120 meses) os R$ 300,00 mensais, encontrou seu príncipe encantado, e quer dar a entrada em um ninho de amor. Você pode resgatar sua previdência privada. Já pensou? Neste caso, você terá na mão, limpinhos, R$ 69.011,60 (rentabilidade líquida aproximada de 1% AM). É, tem o fato de que se você fez um resgate, o valor que você vai retirar quando se aposentar será menor. Mas pelo menos você não pagará aluguel, não é mesmo?

Não habibas, não estou dizendo que você tem que trocar o INSS pela previdência privada. O “mundo ideal” é que se consiga manter o pagamento do carnêzinho, e de uma previdência à parte. Se uma previdência for inviável para você, não deixe, pelo menos, de contribuir com o INSS, porque vale a regra já descrita anteriormente: quanto maior o tempo de contribuição, maior o valor do benefício!!

Aguardem cenas do próximo capítulo: as bailarinas e a cestinha de investimentos!!

Não posso deixar de agradecer, mandar um beijo enorme e deixar o contato da Margarida e do Maurício da Amazing Corretora, que fizeram o estudo previdenciário pra mim! Quem tiver interesse e quiser informações mais técnicas, não se aperreie: os dois são uns fofos!!!

Amazing Corretora – Bradesco Vida e Previdência

Margarida / Maurício

tel:(11) 3221-0100
cel:(11) 7257-8226
fax:(11) 3221-8273

mauricio_lima_silva@yahoo.com.br

Beijins

3 comentários:

  1. Eu tenho previdência privada. Como descobri isso há pouco tempo, não faz nem 01 ano ainda. Contribuo pouco por hora, pq meu salário é minguado, mas minhas intenções são aumentar a contribuição a medida que minha renda aumentar. Acho super válido vc tá falando disso aqui. A gente esquece que o corpo da gente fica cansado com a idade, né?

    ResponderExcluir
  2. Muito importante esse assunto.
    Vou me informar melhor, também.
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela iniciativa! Adorei o assunto! É importante e foi abordado de uma forma bem esclarecedora.

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...