07 julho 2009

4

Eu sou aquela amante à moda antiga... do tipo que ainda manda flores...

Ardhnarishwara, a imagem andrógina da união de Shiva e Parvati, que ilustra a união perfeita entre um homem e uma mulher.

Olá habibas.

Quero agradecer a todas as mensagens de carinho pro meu amôoooo que está em tratamento, mas graças a Deus, o pior já passou.

Vamos lá, o post néam...

Semana passada, enquanto estava lavando o banheiro (é fofuras, recém casada, sem secretária do lar = buchinha, cândida e sabão para esfregar os azulejos do banheiro, tcherto?), fiquei pensando qual a vantagem da bailarina manter uma aura de deusa o tempo inteiro, cabelos, unhas, maquiagens, tudo impecável... tralalá.

Mas e aí? E a parte da mulher maravilha que mata um leão por dia, que aguenta o bafo (e os peidos) do marido à noite, que leva bronca de chefe tirano, que toma ônibus lotado... Será que vale a pena esconder todos os fatores pequenos do dia a dia que fazem da mulher um ser humano extraordinário?

Fiquei bolada com uma pergunta que criei, vejam só: "Qual seria seu conselho pra uma aluna que foi proibida pelo companheiro de praticar dança?"

Claro que meu lado feminista achou isso um absurdo, e já enumerou 49542313455 respostas que, claro, mandam o peguete tomar um ônibus para Samoa para ser devidamente comido pelos aborígenes canibais. Mas, sejamos verdadeiras e vamos colocar na balança: será que temos conseguido administrar com sabedoria nossa vida pessoal e nossa paixão pela dança?

Vamos pensar: quando vamos progredindo na dança, queremos dançar em todas e quaisquer situações que se forem possíveis. Festival, mostra cultural, festa de aniversário, saraus, etc. Qual é o dia desses eventos mesmo? Ah, sim, sábado e domingo. Se vocês forem como eu, a preparação para um festival no qual vou dançar à tarde começa CEDO DE MANHÃ: unhas, cabelo, maquiagem... Atenção para o bophe? Necas de pitibiriba...

Daí vem os workshops... opa! Esses tem que fazer né Verinha. É, eu acho... Em quais dias? Sábado, domingo, feriados prolongados... Assistir televisão com o bophe? Não vai dar tempo, ora pois, o workshop já vai começar.

Fora os festivais, que nossos bophes acompanham, com orgulho. Será? Ficar um dia inteiro, no som alto, cheio de gente, às vezes em pé, para fazer a amada feliz. Ah, mas o amor, suporta tudo... Também acho habibas. Só que: Deus fez o amor, e o Diabo fez a paciência masculina bem curtim.

Mas... qual é a mensagem Tia Verinha? Simples amores!!!! Administrar o tempo é preciso. Precisa participar de toooooodos os workshops que o povo sai ministrando por aí, tem certeza? Ocupar todos os sábados e domingos da sua vida e para o bophe nada? Jamais, jamais esqueça que "quem não dá assistência, abre a concorrência"....

E fazer a recíproca também ser verdadeira: seu bophe não vai nos festivais te ver linda e maravihosa? Que tal levar um pompom no futebol do sábado para atacar de cheerleader? Ou então jogar um pouquinho de Guitar Hero? Ou assistir ao futebol na tevê de domingo à tarde? Whatever... o nome da ação é PARTICIPAR DA VIDINHA DO GATO TAMBÉM FOFA!!! Antes agora do que depois que o perfume da vizinha for mais interessante que o seu!!!

4 comentários:

  1. Na verdade eu continuo achando que eles têm tempo demais =p
    Sei lá... apesar de toda a maravilha do amor, eu ainda sou do tipo que vejo a mim em primeiro lugar como garantia pra minha própria felicidade :) Meus atos antes, meus gostos tbm xD Fica difícil? Ficaaaaa, mas a garantia do outro nunca é certa.
    Isso.
    ^^
    bjoones!

    ResponderExcluir
  2. Ah Verinha, que tudo esse texto! Concordo com vc completamente e ainda divido a angústia da vida de casada e buchinha na mão... mas, faz parte, né?

    O que acho mais importante mesmo é que ambos tenham a liberdade de fazer o que realmente querem. A maioria da vezes meu maridão não tá afins de ir me assitir e, sabe, eu até prefiro porque qndo ele vai junto acabam sendo duas preocupações: pensar se ele está bem e na minha dança.

    Tenho pena dos pobres coitados que sempre e invariavelmente acompanham as amadas e ficam lá, horas a fio esperando e ai deles se não elogiarem o seu desempenho!!!

    Acho que esse assunto deve ser encarado sem stress, cada um faz o que tem vontade e quando tem vontade, senão fica tudo muito chato!

    Bjos gatona e saúde pro bophe!

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu texto!
    Depois que casei minha relação com a dança tb mudou.
    Antes passava muito tempo envolvida com a dança. Hj quero estar mais tempo com meu marido que com a dança. Resultado: até na dança eu melhorei! O amor faz milagres, meninas. Rs!

    ResponderExcluir
  4. matou a pau! ihuhuuuu
    é isso aí flor, eu penso nisso toda vez que me dá preguiça de ver o show do marido e aí a pregui vai embora rapidinho...ele merece,pô!
    parabéns por pensar nos gatos e compartilhar isso com a gente- as vezes a gente esquece.
    já disse que sou tua fã?
    =]

    ResponderExcluir

Mentes que pensam e fazem os outros pensar!!! Muito obrigada pelos seus comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...